Busca

Carregando...

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Patinando no maior parque urbano do mundo

Ontem larguei a preguiça no sofá e fui verificar com minhas próprias pernas o tamanho do maior parque urbano do mundo. Já fazia tempo que eu me prometia ir patinar no Parque da Cidade, mas na hora dava uma preguiça, não por causa da patinação em si, mas sim por causa dos ônibus que demoram muito a passar nos fins-de-semana e feriados. Quanto a patinar é tudo de bom. O Parque também é tudo de bom. Então somando tudo fica tudo de bombom!

Como fui sozinha não tinha nenhum humano para me apoiar nos meus "quase-tombos" nem para contemplar a paisagem comigo nos momentos em que eu parava para descansar (a cada 200 metros, mais ou menos), mas se tivesse companhia ía ser muito chato porque eu ía ter que acompanhar o ritmo da pessoa, muito melhor assim. Como fazia muito tempo que eu não patinava e eu queria dar a volta inteira na pista de ciclismo/patinação do parque, não patinei no "circuito" todo, só na parte lisa da pista. Eu ía revezando entre os patins e os tênis. Tem uma parte da pista (acho que a maior parte) que é muito "caroquenta" e é horrível patinar com patins de camelô, tem que ser patins emborrachado e/ou com rodas gelatinosas porque desliza bem e não machuca os pés e as pernas (principalmente panturrilha e tornozelo).

Acho que escolhi bem o horário para ir, saí de casa pouco depois das 15h00, então curti o final da tarde e o início da noite no Parque. Tenho que fazer isso mais vezes.

Minha nova oração diária (além das já costumeiras):

Louvado seja Deus pelo Parque da Cidade. Que Deus e os homens o conservem sempre e a cada dia mais lindo e limpo. Amém!

Anotações para a próxima sessão de patinação no Parque:

  • Comprar meias grossas.
  • Comprar um par de patins decente.
  • Obs.: Enquanto não comprar patins decentes as meias grossas "quebram o galho".
Posts relacionados