Busca

Carregando...

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Telemarketing 3 - Quero pagar meus boletos

Logo depois da tentativa de trabalhar em Telemarketing (TMK) ativo, eu fui fazer teste em uma loja dos Classificados do jornal O Popular. O trabalho era variado como em toda loja: tinha que atender clientes pessoalmente, atender clientes por telefone, digitar anúncios, receber dinheiro e não deixá-lo sumir até o fim do expediente… e tudo isso o dia todo, entre 8h e 18h. Tinha duas horas de almoço e aproveitava para visitar minha mãe que trabalha no mesmo bairro. A empresa não pagava almoço. No único dia em que eu levei marmita eu achei o gosto da comida esquentada horrível e passei mal a tarde, então eu comecei a levar lámen e 15h00 já estava quase desmaiando de fome. Tinha que ajudar na limpeza da loja também, mas graças a Deus não cheguei nessa parte. Trabalhei lá duas semanas e o casal de patrões legais vão me pagar por esses poucos dias em que dei trabalho para eles e passei raiva nos clientes sem paciência com iniciantes, ao contrário da empresa onde eu fiz teste para TMK ativo, para quem eu cheguei a captar clientes e não vão me pagar por isso.

Bem, trabalhei lá até "sápassado". Na sexta a Brasil Telecom Call Center me convidou. Antes de ontem passei o dia inteiro naquela empresa enorme fazendo testes, dinâmicas e exame médico (o dia inteiro mesmo, das 8h30 às 20h45). Ontem fui levar as cópias dos meus documentos, como perdi minha CTPS, esse documento vou levar quando a segunda via ficar pronta. Hoje começa o meu treinamento, mas já como funcionária da empresa.

Emprego existe, falta qualificação - Nesta semana pude constatar o quanto essa afirmação é verdadeira. Na bateria de testes para entrar na empresa: gramática, informática, redação, digitação, dinâmica/entrevista e exame médico, sendo cada fase eliminatória para a fase seguinte. A prova de gramática não exigia nada além do que todo adolescente de 9° ano precisa(ria) saber, mas é a prova que mais reprova, dezenas de candidatos, todos com Ensino Médio completo, vão embora. Na prova de informática, fácil para qualquer pessoa que ao menos já tenha freqüentado lan-house, mais uma galera deixa o enorme auditório da empresa de telefonia. Redação elimina poucos, segundo a psicóloga responsável pela seleção, mais por tolerância do que pela qualidade dos textos. A prova de digitação foi extremamente fácil: de um texto com quase vinte linhas, o candidato tinha que digitar seis em cinco minutos. Eu fui a primeira a terminar, digitei o texto todo em bem menos tempo e saí da sala, por isso não vi se alguém foi eliminado nessa prova.

Resumo da ópera: mesmo a seleção exigindo apenas ser maior de idade e ter Ensino Médio completo, só passam graduados, universitários, pessoas mais velhas que fizeram Ensino Médio na época em que ele era bom, jovens de classe média que estudaram em escola particular e uma minoria de jovens pobres revolucionários que são aqueles que fazem a própria história e que conseguiram aprender alguma coisa mesmo estudando em escola ruim (vale lembrar que o salário é pouquíssima coisa acima do mínimo). Eu ainda cheguei a fazer outra prova para trabalhar em um setor específico, passei nela, mas desconfio que na dinâmica a psicóloga me achou com perfil de outra coisa, só vou saber hoje onde vou trabalhar. Acho que vou parar no pós-vendas, que é a galera que ganha menos e trabalha mais, mas vou tentar novamente entrar na área que eu quero.

Não pensava que fosse precisar do telemarketing pela 3ª vez, mas precisei (ou será ele que precisa de mim?). O mais importante é que no final do mês vou poder pagar meus boletos, me matricular em um cursinho para concursos e talvez até numa pós-graduação. Trabalhar 06h20 e ter um período inteiro do dia livre para o que bem entender também é tudo de bom, a maioria das empresas quer você por perto 10h por dia.

Leia os outros posts sobre minha carreira em Telemarketing.

Posts relacionados