terça-feira, 21 de julho de 2009

Aprendendo Linux com Ubuntu 9

image

Desde ontem estou usando Ubuntu 9 como meu segundo sistema operacional. Eu já tinha usado algumas distribuições Linux informalmente em casa ou de forma compulsória em telecentros e órgãos públicos, mas desta vez instalei para valer.

Meu sistema operacional padrão é o Windows XP Professional que está garantido no posto por enquanto, já que ainda sou uma Adobe-dependente e acho que Microsoft-dependente também. Como também não sou programadora (quis ser um dia, mas já desisti) estou interessada mesmo é em aprender a manusear o Linux, como usuária final, para fins acadêmicos, concurseiros, "bloguísticos" e jornalísticos.

O Linux ainda não é o favorito do usuário doméstico e leigo que adquire a licença do Windows antes de saber que ela existe, já que o valor está incluso e distribuído nas suaves prestações do computador. Mas já faz algum tempo que Linux deixou de ser um sistema operacional de nichos específicos, como nerds programadores e jovens socialistas revoltados com o sistema.

image

Em universidades, telecentros e órgãos públicos, Linux já é o sistema operacional mais usado, para o bem de todos nós, já que nosso dinheiro, ao menos com licença de programas e de sistema operacional, tem sido cada vez mais economizado. Empresários éticos também têm cada vez mais saído da marginalidade e, como poucas vezes o preço da licença compensa os benefícios, migram para sistemas livres.

Estou contando tudo isso porque é provável que o blog HTMHelen contemple mais soluções para Linux a partir das minhas próprias dificuldades e experiências, principalmente no que se refere a programas e a usabilidade dos nossos blogs e sites.

Até mais!

Eu escrevi este post no Linux, mas na hora de diagramar senti falta do Windows Live Writer, então salvei o post e reiniciei o computador com XP, onde publiquei usando o WLW. Foi mal, “ubunteiros”, por ter traído o movimento. Fica para a próxima.

6 comentários:

  1. Usa o scribefire no firefox do ubuntu. Deixa o wlw pra lá.

    ResponderExcluir
  2. @Erik, era justamente o ScribeFire que eu estava usando para digitar o post quando estava no Ubuntu. Ele tem potencial para ser um excelente complemento, mas por enquanto ele tem dois defeitos que o eliminam da minha lista de alternativas:

    1. Tem um botão filho-da-puta chamado Limpar Conteúdo que não abre nenhuma janela de confirmação antes de realmente apagar. Mesmo que o texto esteja salvo, não há quem não fique tão puto quanto a mãe do botão quando clica nele sem querer.

    2. Não edita imagens maravilhosamente como o Windows Live Writer.

    Mas continuo procurando. Hoje mesmo vou instalar mais alguns programas livres para testar e, quem sabe, descobrir uma alternativa à altura do WLW.

    ResponderExcluir
  3. Boa sorte na pesquisa desse programa livre capaz de substituir o WLW. Eu já tentei e também desisti da busca. Uso o Ubuntu 40% do meu tempo, depois disso tenho de passar para o Win7 por causa do WLW, não há melhor.

    ResponderExcluir
  4. @Cognitivo, concordo que não há melhor que o WLW, mas estou gostando do Blog Editor do navegador Flock. Não substitui, mas é bom, bem melhor e mais rápido que o ScribeFire.

    ResponderExcluir
  5. Olá Helen!

    Eu também estava nessa de dependência de Windows justamente pelo Windows Live Writer. Encontrei ontem a solução pra esse meu problema: Bilbo.
    É editor de blog muito parecido com WLW e é feito com biblioteca KDE mas roda muito bem no Gnome.

    Sei que o post já faz tempo que escreveu, mas se ainda estiver a procura deste programa confira este link http://www.ubuntudicas.com.br/?p=1826

    ResponderExcluir
  6. @marco_damasceno, já estou experimentando o Bilbo. Dentre os editores de blogs para Linux que conheço ele é o melhor até agora. ;)

    Só que, na minha opinião, para ser parecido com o Windows Live Writer tem que, no mínimo, editar imagens. Infelizmente isso o Bilbo não faz.

    Aliás, o único recurso que me leva a preferir o Windows Live Writer é o editor de imagens. Quando não tenho que editá-las prefiro escrever em algum editor que faça destaques no código, como o Gedit, o BlueFish e o Notepad++.

    Obrigada pela dica. Como o Cognitivo disse, descobrir um programa à altura do WLW não é tarefa fácil, mas como a demanda é grande ele pode surgir a qualquer momento.

    Portanto, se descobrir mais alguma coisa fique a vontade para comentar, mesmo porque seus comentários podem servir de dicas para outros leitores que passarem por aqui, como o próprio Bilbo.

    Para quem se interessou pela dica do Marco, eu encontrei o Bilbo no próprio repositório, pela busca do Synaptic, não precisei fazer nenhum outro download.

    ResponderExcluir

Posts relacionados