segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A falácia da “vontade divina”

Este é um artigo sobre Igreja.

Comecei hoje a ler Cartas Entre Amigos e já quero citar dois parágrafos do Padre Fábio de Melo:

Escuto absurdos sobre Deus, quando pessoas movidas por boas intenções resolvem explicar as fatalidades do mundo. Frases simplórias e descomprometidas com a verdade não resolvem; ao contrário, agravam ainda mais o sofrimento, porque geram orfandade, descrença e abandono.

Justificam as tragédias humanas como “vontade divina”, retirando assim a responsabilidade humana dos acontecimentos, fruto das escolhas que fazemos. Respondem a tudo e a todos como se o desvelamento do mistério pudesse resolver as questões.

O trecho do livro serve apenas para embasar um desabafo que há muito tempo eu queria fazer, pois se trata de uma situação que muito me incomoda.

Jesus na cruz

Já faz alguns anos que estou decepcionada com esses absurdos sobre Deus dos quais o Padre Fábio fala. Como membro da Renovação Carismática Católica devo admitir que cada vez mais os ouvidos dos frequentadores dos grupos de oração são tratados como penicos por pregadores descomprometidos com a verdade que falam as “abobrinhas” que o padre elegantemente chamou de frases simplórias.

O movimento da Renovação Carismática Católica, na sua ânsia por quantidade, tem descuidado da qualidade e deixado que pessoas totalmente despreparadas, sem nenhuma formação teológica e realmente crentes de que “foram ungidas por Deus”, assumam o ministério da pregação. Como consequência óbvia o nível dos ensinamentos cai cada vez mais, aproximando vergonhosamente a Igreja Católica de algumas seitas com fins lucrativos que se autodenominam “evangélicas”.

Cruz

O pior é que esses irmãos, com suas “pregações” recheadas de abobrinhas – e que por isso mesmo fazem bastante sucesso - já estão nas coordenações diocesanas e até estaduais dos ministérios da Renovação Carismática Católica. Nas coordenações nacionais, graças a Deus, eu ainda não vi nenhum desses propagadores de absurdos, mas temo o pior.

Não podemos culpar apenas esses pregadores, porque ninguém pode oferecer o que não tem. Os culpados somos todos nós, católicos carismáticos. A causa é uma só: somos preguiçosos, egoístas e imediatistas. Estamos esquecendo de dar tempo ao tempo. Trocamos os pés pelas mãos.

Crucifixo Oramos pouco e temos agenda cheia, mas na verdade não fazemos nada, como quem planta na areia, desperdiçando o trabalho e as sementes. Servimos demais, evangelizamos de menos. Damos muitos testemunhos sobre o quanto nos tornamos maravilhosos desde que dissemos “sim” a vontade de Deus, mas nos esquecemos de dizer o quanto Deus é maravilhoso. Em nossas pregações, dizemos mais “eu” do que “Deus”, como se duas letras não coubessem mais em nossa fala.

Fugimos de nossas responsabilidades humanas, colocamos tudo na conta do Espírito Santo. Estudamos pouco e falamos absurdos sobre Deus. Tratamos Deus como se fosse um escravo, sempre disposto a satisfazer nossos caprichos vaidosos e egocêntricos. Nossa oração é cada vez mais supérfula e nossa ação quase inexistente.

Se alguém diz que precisamos estudar teologia dizemos “não preciso, a unção de Deus me basta”, como se Deus fosse obrigado a dar conta de nosso analfabetismo. Tratamos a bíblia como se fosse uma rifa em que lemos o versículo que foi “sorteado”.

Jesus carrega cruz

Trocamos as frases “foi culpa minha, estou arrependido” e “foi culpa sua, mas eu te perdoo” por “foi vontade de Deus”. Usamos Deus para camuflar nossa incompetência. Colocamos na cruz de Jesus o peso de nossa própria cruz, como se a d’Ele já não tivesse peso o suficiente.

Se não passamos no vestibular, foi vontade de Deus. Se engravidamos antes de casar, foi vontade de Deus. Se nos divorciamos, foi vontade de Deus. Se perdemos o emprego, foi vontade de Deus. Se nos tornamos obesos, foi vontade de Deus. Se adquirimos algum vício, foi vontade de Deus.

Pelo amor de Jesus! Se todas as merdas que aprontamos fossem vontade de Deus, Ele não seria Deus, seria um cafetão que leva goianas para “trabalhar” na Europa, um madeireiro que mata freiras no Pará, um traficante de armas e drogas no Rio de Janeiro, um senador nordestino, qualquer coisa desse nível… não um Deus.

Se nossas falas e atitudes são simplórias, a solução é simples, mas exige muito:

Amar como Jesus amou
Sonhar como Jesus sonhou
Pensar como Jesus pensou
Viver como Jesus viveu
Sentir o que Jesus sentia
Sorrir como Jesus sorria
E ao chegar ao fim do dia
Eu sei que dormiria muito mais feliz

Trecho da música Amar Como Jesus Amou, Padre Zezinho

Usei a primeira pessoa do plural para parecer menos “dona da razão”, mas não sei se funcionou.

Apesar de ser a intenção inicial, o post ficou polêmico demais para ser publicado no blog do Ministério de Comunicação, então veio parar aqui no HTMHelen, que agora é meu único blog.

Me xinguem com moderação, já que os comentários são moderados. (Juro que o trocadilho foi desproposital, só percebi muito tempo depois de escrever!)

Paz e bem!

14 comentários:

  1. Olá Hellen!

    Parabéns ótimo texto!!!

    Desejo que ele seja capa do site da RCC, mas acho que não vai chegar lá!

    Abraços, Paz e Bem!!

    ResponderExcluir
  2. Hellen~~

    Lindo post. Gostei muito e grandes verdades. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Oi Helen!
    A "igreja" parece não saber o sentido do "amor de Deus". Fala-se muito e vive-se pouco do que Jesus pregou.
    Eu sou evangélica e me assusto com os absurdos da igreja,que vem se perdendo em suas "idéias" humanas. Sou cantora e quando me converti fui trabalhar na área de música da igreja, mas cadê que a moçada queria estudar? Um saco!! Vinham com essa história "a unção de Deus basta" e continuavam tocando e cantando mal prá caramba! Qualé?! Apanhei muito e hoje me recolho na floresta buscando compreender melhor meus irmãos.
    Amei saber da sua fé em Cristo!
    Abração!
    Graça e paz...♥

    ResponderExcluir
  4. É mais fácil jogar a culpa/responsabilidade nos outros, na força maior, do que ver suas próprias falhas. E a cada dia que passa isso aumenta, em uma parcela da população.
    A força maior está lá não para ser assistencialista, mas para ser uma referência...

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo post!
    Adorei!
    Realmente acontece muito hoje em dia o que você falou aqui... Amiro muito o trabalho da RCC (sou do MEJ, conhece esse grupo?).
    E realmente as pessoas, ou até mesmo nós em certos momentos ficamos jogando toda a desgraça que acontece em nossas vidas nas mãos de Deus.
    Devemos perceber que nós é que dirigimos a nossa história, Deus apenas nos mostra o melhor roteiro a ser seguido. Mas o como nós vamos seguir, cabe a nós escolher.
    Parabéns pelo post!

    Ah... e essa música é linda! "Um dia uma criança me parou, olhou-me nos meus olhos a sorrir...".

    ResponderExcluir
  6. Síntese:

    "Rogo a Deus como se esperasse tudo d’Ele, mas trabalho como se esperasse tudo de
    mim" (São Tomás de Aquino).

    ResponderExcluir
  7. Parei de ler no "seitas com fins lucrativos que se autodenominam “evangélicas”." Achei sua frase muito pejorativa, pra não dizer preconceituosa. Nada mais a comentar .

    ResponderExcluir
  8. Sara, você é livre para achar o que quiser, mas garanto que alguns evangélicos leram e comentaram antes de você e conseguiram interpretar bem a minha frase, sem notar nela nenhum tipo de preconceito. Aliás, você viu que antes do trecho que você citou existe a palavra algumas?

    Volte sempre!

    ResponderExcluir
  9. Que a paz esteja com você Helen.
    A sua indignação é sensata aos nossos olhos, mais a ira do homem não produz justiça Divina.
    Quando há contentas,ciumes e contradições entre nós é a prova de que somos carnais.
    Jesus mandou algo simples: Indi e pregai o evangelho.
    Não disse Indi e corrigi-os ou algo do gênero.
    Cristo no livro de provérbios e intitulado como a própria sabedoria, sendo assim ele misericordioso com todos nós que somos tolos diante dele.
    Helen!Você não acha que devemos ser misericordiosos com os joios sendo que Deus não os retira do meio do trigo para que o trigo também não sofra?
    Não permita que a falha dos insensatos há perturbe retendo a paz que Deus ti deu.
    Seu zelo pelo evangelho é bem visto aos olhos de Deus, mais estar cometendo os mesmos erros que Paulo cometeu.
    Esqueça as falhas das pessoas e apenas:
    Indi e pregai o evangelho.
    De coração espero que seja sabia e não si iri com meu comentário, pois o faço pelo amor que Deus ensinou-me ter por você sendo certa ou errada não importa pois a obra não é minha e sim de Deus.
    Que as bençãos de Deus estejam sempre em sua vida.

    ResponderExcluir
  10. Interessante seu ponto de vista, garotinha. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rafael. De 2009 pra cá meu ponto de vista mudou um pouco porque não acredito mais em Deus. Mas mesmo sem acreditar na existência dele, continuo achando que muitas pessoas o usam como desculpa para muita coisa.

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  11. Eu Gostei do seu post e respeito o seu ponto de vista, eu também já vi coisas absurdas! Onde entra o humano existe sempre a possibilidade do pecado, mas não podemos generalizar com relação ao movimento da RCC pois conheço bem o movimento da Renovação Carismática e posso afirmar que existem pessoas muito sérias, bem preparadas por meio das formações e que doam suas vidas para levar o Evangelho. Veja por exemplo nesse vídeo apresentado no ultimo Encontro de Formação da RCC 2013: http://youtu.be/RdNBJOwDVqY

    Nossas palavras humanas muitas vezes são bonitas e podem até emocionar, mas não tem a mesma eficácia da palavra da verdade. Essa sim, é como espada afiada, capaz de penetrar no íntimo da alma, separando o bem do mal.

    “Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração.” (Hb 4, 12)

    Claro que muitos ainda não tiveram esse encontro pessoal com Jesus, não foram ainda atingidos pela Graça que é dada pelo próprio Deus de poder compreender a Sua Palavra pela unção do Espírito Santo. Como fez com os discípulos de Emaús quando “Abriu-lhes então o espírito, para que compreendessem as Escrituras” (Lc 24, 45). Essa palavra que é o próprio Deus, é a única que tem a força transformadora para nos tornar criaturas melhores!

    O próprio Jesus nos ensina: “pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram.” (Lc 10, 24). “O que é estulto no mundo, Deus o escolheu para confundir os sábios; e o que é fraco no mundo, Deus o escolheu para confundir os fortes; e o que é vil e desprezível no mundo, Deus o escolheu, como também aquelas coisas que nada são, para destruir as que são. Assim, nenhuma criatura se vangloriará diante de Deus.” (1Cor 1, 27-29)

    Desejo que você não se prenda nas decepções humanas, busque o essencial, busque o sobrenatural, busque Jesus, o caminho a verdade e a vida! Não deposite a sua confiança nos homens, mais cedo ou mais tarde eles vão te decepcionar

    Deus é a fonte do amor! E o amor pode Curar o Mundo!

    Deus Te Abençoe,
    Marco

    ResponderExcluir

Posts relacionados