Busca

Carregando...

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Fontes compatíveis com Linux

Não são poucos os blogueiros que se assustam quando olham as fontes do próprio blog pela primeira vez em um outro navegador ou em outro sistema operacional. Isso ocorre simplesmente porque as fontes instaladas nos mais diversos sistemas operacionais não são as mesmas.

Como usuária de Windows XP e Ubuntu 9, vou listar o que considero como possíveis soluções para que blogueiros que usam Windows consigam definir suas fontes corretamente de forma que usuários Linux não sejam prejudicados.

1. Prefira as fontes do pacote Microsoft TrueType Core Fonts

A maioria dos usuários Linux descobre logo que, para ver corretamente as fontes da maioria dos sites, precisa instalar o pacote msttcorefonts ttf-mscorefonts-installer (Microsoft TrueType Core Fonts), que no Ubuntu pode ser encontrado no próprio Synaptic (gerenciador de pacotes).

Quem não usa Linux, mas quer que a tipologia de seu blog seja corretamente visualizada por esse usuários, precisa saber apenas quais são as fontes usadas nesse pacote e escolher entre elas:

:: Fontes do pacote Microsoft TrueType Core Fonts ::
Família Família genérica
Andale Mono Monospace
Arial Black Sans-serif
Arial (negrito, itálico, negrito itálico) Sans-serif
Comic Sans MS (negrito) Sans-serif e Cursive
Courier New (negrito, itálico, negrito itálico) Monospace
Georgia (negrito, itálico, negrito itálico) Serif
Impact Sans-serif e Fantasy
Times New Roman (negrito, itálico, negrito itálico) Serif
Trebuchet MS (negrito, itálico, negrito itálico) Sans-serif
Verdana (negrito, itálico, negrito itálico) Sans-serif
Webdings Fantasy

Como você deve ter percebido, as nossas fontes favoritas para textos com mais de uma linha estão nessa tabela, o que já é um excelente começo para resolvermos a compatibilidade de fontes no Linux.

2. Escreva o nome da fonte completo

De tanto usar apenas Windows adquirimos alguns vícios em HTML, como chamar as fontes por seus “apelidos”. Se quiser que suas fontes sejam vistas corretamente por usuários Linux, esqueça essa prática e adquira a formalidade de chamar as fontes por nome e sobrenome completos.

Outro aviso importante é que os navegadores divergem bastante quanto a isso, então é preciso ficar esperto. O Konqueror entende que Comic Sans é Comic Sans MS, mas o Firefox não. A raposa, por sua vez, entende Andale como sendo Andale Mono, mas o Konqueror não faz ideia do que isso significa. Chrome e Firefox entendem Times como Times New Roman, mas o Konqueror não. Já o navegador Opera, caxias como sempre, não entende nenhum apelido.

Não use mais Use apenas
Andale Andale Mono
Comic SansComic Sans MS
Courier Courier New
TimesTimes New Roman
Trebuchet Trebuchet MS

Atenção! Existe um fonte no Windows que se chama Courier e outra que se chama Courier New. No Linux, alguns navegadores vão entender Courier como sendo a fonte Courier New. Outros navegadores não vão entender nada. As duas fontes, apesar de serem parecidas e monoespaçadas, têm tamanhos muito diferentes, o que pode gerar distorções no leiaute. Portanto, a recomendação é usar a fonte Courier New, já que a primeira não está no pacote msttcorefonts.

Importante - Em fontes com nomes compostos devem ser usadas aspas para não confundir o browser, principalmente quando há lista de fontes, como nos exemplos:

body {font-family:'times new roman',serif;}
p {font-family:'andale mono','courier new',monospace;}

3. Sempre defina a família genérica

Até agora consideramos a melhor das hipóteses: o usuário Linux tem o pacote de fontes True Type da Microsoft instalado, mas não podemos esquecer que ele não é obrigado a tê-lo.

Se o usuário for muito leigo ou for realmente satisfeito com as fontes originais de seu sistema operacional, é provável que nunca instale um pacote de fontes adicionais.

Isso é muito comum também em órgãos, empresas, telecentros e lan-houses que usam Linux, onde os computadores trabalham com as configurações mínimas necessárias e os usuários não têm acesso a senha de administrador para mudar isso.

Para esses casos, é importante usar na listagem de fontes sempre a família genérica, assim o usuário verá alguma fonte que tenha características parecidas com a fonte que você idealizou.

div {font-family:'trebuchet ms',sans-serif;}
p {font-family:georgia,'times new roman',serif;}
blockquote {font-family:'lucida handwriting','monotype corsiva','comic sans ms',cursive;}
textarea {font-family:'andale mono','courier new','monospace';}
  • Sans-serif - fonte sem serifa, como Arial.
  • Serif - com serifa, como Times New Roman.
  • Monospace - fonte monoespaçada em que todos os caracteres têm exatamente a mesma largura, sejam eles números, letras, símbolos ou espaços em branco.
  • Cursive - fonte que imita a caligrafia, como Comic Sans MS.
  • Fantasy - fonte decorativa, não recomendada para textos com mais de uma linha, mas ótimas para logos e outros trabalhos de design.

4. Liste fontes Windows e Linux

Apesar de ser a solução aparentemente mais óbvia, é a última da lista porque, na prática, é a menos viável. As distribuições Linux geralmente vêm com dezenas de pacotes de fontes que o usuário pode instalar e desinstalar facilmente, apenas clicando.

Neste caso você teria que conhecer as fontes do Linux, listar várias delas em font-family, de preferências as mais comuns e, no fim da lista, colocar a família genérica, como no exemplo abaixo:

body {font-family:'trebuchet ms','luxi sans','dejavu sans','sans-serif';}

Algumas fontes do Linux:

SerifSans-serifMonospace
FreeSerif FreeSans FreeMono
DejaVu Serif DejaVu Sans DejaVu Sans Mono
Lucida Bright Lucida Sans Lucida Sans Typewriter
Luxi Serif Luxi Sans Luxi Mono

Até mais!

Fontes: Monday by Noon e Fontes True Type no Ubuntu

Posts relacionados