Busca

Carregando...

domingo, 8 de agosto de 2010

Como resolver a falta de assunto para blogar

ÓculosConfesso que acho muito estranho uma pessoa dizer que não tem assunto para blogar. Sou blogueira há oito anos e nunca sofri de falta de tema, só de falta de tempo mesmo.

Apesar de achar esquisito, respeito o dilema dessas pessoas, tanto que estou escrevendo este post para tentar ajudá-las.

Algumas dicas que vou colocar aqui vieram da minha própria experiência como blogueira, outras vieram da minha formação acadêmica e da minha experiência profissional. Se para um blogueiro não pode faltar assunto, imagine para um jornalista.

Seguem então os principais motivos e as possíveis soluções para a falta de assunto:

  1. Ainda não descobriu 100% sua vocação como blogueiro
  2. Quer postar apenas notícias
  3. Tem uma ideia de post e fica adiando
  4. Limitou muito o leque de assuntos do blog

1. Ainda não descobriu 100% de sua vocação como blogueiro

Muito raramente uma pessoa descobre sua vocação em um estalar de dedos. Identificar nossas próprias inclinações é um processo de autoconhecimento que ocorre naturalmente e em etapas e isso vale para todos os aspectos de nossa vida: pessoal, profissional, social e o escambau.

EstetoscópioVocê sabe que quer ser médico, mas ainda está em dúvida se quer ser pediatra ou cardiologista. Você sabe que quer ser jornalista, mas ainda não tem certeza se quer ser repórter de revista ou produtor de telejornal. Você sabe que quer fazer Direito, mas ainda não decidiu se quer ser promotor ou delegado. Você sabe que quer ser blogueiro, mas ainda está em dúvida entre automobilismo e quadrinhos.

Se está faltando assunto para posts, talvez você ainda não tenha descoberto a sua praia como blogueiro. Quando a pessoa tem muitas dúvidas quanto a isso, recomendo que comece com um blog pessoal ou de variedades, sem linha editorial bem definida.

Nesse blog você deve escrever livremente, sem autocensura. Observando a frequência de assuntos, é possível descobrir o tema ao qual se dedica mais e a partir disso iniciar um ou mais blogs focados em nichos.

Eu só recomendo isso porque funcionou comigo e com várias pessoas que conheço. Eu comecei com um blog pessoal que se chamava apenas Helen Fernanda. Quando ele passou a ser um blog de variedades recebeu o nome de Helen Fernanda Ponto Com. Chegou um momento em que estava tão clara a disparidade dos assuntos e dos públicos que precisei dividí-lo em outros blogs, que hoje são o HTMHelen e o Consultoras de Beleza.

Não vou me estender mais neste tópico porque já falei sobre isso em outro post:

Recomendo que leia tanto o post quanto os comentários, que são dos próprios blogueiros citados como exemplos no post.

2. Quer postar apenas notícias

Tem blogueiro que se acha jornalista e quer manter seu blog atualizado apenas com notícias, mas se fosse jornalista mesmo saberia que:Âncora de telejornal

  • Jornal não vive só de notícias.
  • Revista não vive só de notícias.
  • Blog de notícias não vive só de notícias
  • Portal de notícias não vive só de notícias.

Então, se jornalista não vive só de notícia, por que tem blogueiro iniciante que ainda não tem nem os números dos celulares de suas fontes e acha que vai conseguir manter seu blog assim? Provavelmente por falta de conhecimento das demais possibilidades.

Mesmo um blog de novidades deve ter categorias (marcadores) que permitam a publicação de posts não noticiosos, como por exemplo:

  1. Listas
  2. Tutoriais
  3. Artigos opinativos
  4. Entrevistas
  5. Séries

a) Listas

Use as listas naqueles dias mais “fracos” de notícias. Se o seu blog é sobre lançamentos de filmes, por exemplo, faça uma lista com os 10 filmes com a Meryl Streep que tiveram maior bilheteria. Se o seu blog é sobre novidades em cosméticos, faça uma lista com 15 opções de adstringentes para diferentes tipos de pele.

Além de serem muito divertidas de elaborar, as listas fazem muito sucesso entre os leitores. Posts assim geralmente recebem muitos comentários e são retuitados centenas de vezes, quase que eternamente. Justamente por não serem noticiosas, as listas não perdem tanto a relevância com o tempo.

b) Tutoriais

Professor escrevendo no quadro

Imagine que você tem um blog sobre motociclismo, no qual você divulga notícias e vídeos sobre eventos e competições. Você pode fazer um tutorial contando como se faz para começar a competir. Outro tutorial pode ensinar repórteres a se credenciarem para cobrir esse tipo de evento. Ideias não vão faltar se você domina o tema sobre o qual bloga.

Os tutoriais também fazem muito sucesso e só perdem relevância se o procedimento muda. A diferença é que eles geralmente dão mais trabalho para elaborar. Além de saber todos os passos, você precisa prever as dificuldades que as pessoas podem encontrar para realizar o que você está ensinando.

c) Artigos opinativos

Publicar opinião no blog é tão fácil de fazer como é difícil de suportar as consequências.

Eu, particularmente, coloco opinião em quase todos os meus posts e ainda tenho categorias de posts especialmente para isso, mas sei que nem todo mundo tem a mesma ânsia que eu tenho de causa polêmica e confusão. Acho que herdei isso da minha mãe e confesso que me divirto sendo assim.

Se você pretende começar a escrever artigos opinativos no seu blog, saiba que nunca vai faltar assunto, mas prepare-se para ser xingado. Caso não tenha uma autoestima muito acima da média da população mundial, não recomendo.

d) Entrevistas

Repórter de TV entrevistando

Fazer entrevistas é outra forma de ter posts não noticiosos que serão relevantes por bastante tempo. Aliás, se a personalidade entrevistada for mesmo interessante, a relevância da entrevista tende a aumentar com o tempo. Se a pessoa que você entrevistou morrer então… </humor-negro>

A escolha do entrevistado pode ter um mote (aniversário, casamento, prêmio recebido, evento realizado…) mas isso não é obrigatório para começar a entrevista. Por mais que a própria pessoa não dê importância, sempre há alguma novidade na vida dela: um sobrinho que nasceu, uma promoção no emprego,  uma reforma na casa, etc. Se o entrevistador for perspicaz vai saber extrair essa informação e usar isso como mote de uma entrevista que aparentemente não tinha mote nenhum.

Outra coisa que dá muito prazer ao fazer entrevistas em blogs é poder dar voz a pessoas que na mídia tradicional não têm a mesma oportunidade. Nesse sentido eu admiro muito os blogueiros que são bairristas e entrevistam apenas pessoas de sua própria cidade ou do seu bairro, dando visibilidade internacional a pessoas que nunca tiveram e provavelmente nunca vão ter oportunidade de serem entrevistadas pelo Jô Soares ou pela Marília Gabriela.

Eu confesso que já pensei algumas dezenas de vezes em fazer entrevistas aqui no blog, mas como sou perfeccionista e sei que dá muito trabalho para editar, acabo desistindo.

e) Séries

Essa é outra dica que vem do jornalismo. Você escolhe um assunto que é relevante sem necessariamente ser noticioso e faz vários posts abordando vários aspectos desse mesmo tema.

Para gerar nos leitores hábito e expectativa, você pode estipular uma frequência para a sua série de posts: um por dia, um por semana, um por mês… Você também pode definir se serão artigos opinativos, tutoriais, listas. Você é quem sabe.

Acredite ou não, tenho uma série de entrevistas para o HTMHelen planejada para 2015. Se estivermos vivos até lá, veremos se vou persistir na ideia.

3. Tem uma ideia de post e fica adiando

LâmpadaAqui temos a famosa procrastinação. Eu assumo que sofro disso no que se refere a trabalhos acadêmicos. Com o tempo fui ficando cada vez mais perfeccionista e exigente com meus trabalhos a ponto de nem conseguir começar a fazer se não tiver certeza de que vai ficar perfeito.

Mas o perfeccionismo não é a única causa da procrastinação, há muitas outras como hiperatividade, depressão, estafa, ansiedade, preguiça, etc.

Independente da origem, a procrastinação só prevalece quando o blogueiro não está confiando o bastante em sua própria intuição. Algumas dicas para se livrar desse mal:

  1. Não menospreze os posts curtos
  2. Não tenha preguiça dos posts longos
  3. Transforme um tema batido em novidade

a) Não menospreze os posts curtos

Às vezes a gente tem uma ideia de post curto e acha pouco, então fica tentando encher linguiça para deixar o post longo e fazer ele parecer mais relevante.

Mas as pessoas não querem apenas posts longos com 300 imagens e 1001 links de referência </exagero>. Muitas vezes algo que aparentemente é muito simples vai ser uma superdica para seus leitores. Um exemplo recente do próprio HTMHelen é o seguinte post:

b) Não tenha preguiça dos posts longos

Gato preguiçoso

Existem posts que realmente precisam ser longos como listas e certos tutoriais. A minha primeira recomendação antes de você começar a fazer um post assim é bastante óbvia: busque na internet para ver se não fizeram algo parecido com o que você está pensando. Afinal de contas, se o post vai dar muito trabalho é melhor que seja muito original, não é mesmo?

Quanto a fazer post longo sobre um assunto que está na crista da onda, é uma faca de dois gumes. Os posts que foram escritos sobre o Google Wave </trocadilho-sem-vergonha>, por exemplo, já vão “vencer” no final do ano. Para quem é imediatista, isso pode parecer negativo porque depois disso esses posts serão muito pouco acessados e trarão poucos visitantes ao blog. Para quem tem uma visão mais histórica, é muito positivo ter o privilégio de ter escrito longos posts sobre um assunto que só foi assunto durante tão pouco tempo.

Considerando o custo-benefício, se o post é relevante e ninguém fez ainda, comece o mais cedo possível, seja o primeiro a publicar e depois é só correr para o abraço.

Lembre-se que um post não é um livro, ou seja, não tem obrigação nenhuma de servir como herança cultural para as próximas gerações. Quando isso acontece, é lucro.

Um exemplo recente de post longo e trabalhoso do HTMHelen que, na minha humilde opinião, valeu a pena:

c) Transforme um tema batido em novidade

Eu costumo não dar muita bola para temas que já foram tratados por trocentos blogs diferentes das mais diversas formas, mas se o assunto me instiga muito, eu acabo encontrando uma forma de escrever sem bater na mesma tecla. Dentre as várias formas de fazer isso, há três principais:

  • Dando sua própria opinião sobre o tema.
  • Contextualizando o assunto historicamente. Se o tal “tema batido” é a fusão de duas grandes empresas de cosméticos, por exemplo, você pode citar exemplos de outras fusões que ocorreram no mesmo ramo e até fazer comparações que outros blogueiros não fizeram ainda.
  • Aprofundando, você pode pesquisar e mostrar detalhes a respeito do tema que os outros blogs não divulgaram ainda.

4. Limitou muito o leque de temas do blog

Leque japonêsÉ claro que existem blogs que já nascem para um produto ou uma campanha específica, de forma que o autor tem consciência de que, quando o produto/campanha acabar, o blog acaba também.

Mas todo dia eu vejo blogs que não foram planejados para acabar dessa forma e mesmo assim morrem. Isso porque seus autores foram muito empolgados na hora de delimitar os assuntos. Eles transformaram em blog aquilo que renderia, no máximo, uma série ou uma categoria de posts em um blog mais amplo.

Alguns exemplos fictícios:

  • Um blog só sobre o José de Alencar ao invés de um blog sobre literatura brasileira.
  • Um blog só sobre tapetes de crochê ao invés de um blog sobre crochê.
  • Um blog só sobre tornozeleiras ao invés de um blog sobre bijuterias.
  • Um blog só sobre iPad ao invés de um blog sobre gadgets da Apple ou ainda sobre tablets de diversas marcas.

Se esse problema é a causa da falta de assunto em seu blog, talvez seja a hora de reconhecer isso e abranger um pouco mais. Caso precise escolher um novo nome para o blog, leia também o post:

Ufa! Post longo. Deu trabalho. Tomou boa parte do meu domingo ensolarado, mas valeu a pena.

Até mais!

Imagens: Wikimedia Commons

Posts relacionados