sábado, 21 de maio de 2011

Som alto é violência covarde

Bebê com mãos tapando os ouvidos
Este blog respeita sua dificuldade para interpretar textos irônicos e por isso avisa: o objetivo da autora não é incitar a violência, mas sim evitá-la.
“Quando ‘eu crescer’ quero ser serial killer de pessoas que abusam do volume do som.” Helen Fernanda

É normal que fiquem chocados com minha confissão, apesar de nem ser tão chocante assim. Cada um de nós, sem exceção, tem um serial killer dentro de si, reprimido ou não. Alguns sentem o desejo de matar os pedófilos, outros querem acabar com os estupradores, muita gente quer eliminar os pais que abandonam recém-nascidos, há quem queira estirpar da face da Terra todos os políticos corruptos e existe uma galera que sente vontade de executar outros serial killers, como Dexter.

Eu não sou diferente: sinto o desejo de assassinar, de preferência por meio de explosão, todos aqueles que abusam do volume do som, seja ele automotivo, mecânico, eletrônico, ao vivo ou até mesmo de celular.

Este blog respeita sua dificuldade para interpretar textos irônicos e por isso avisa: o objetivo da autora não é incitar a violência, mas sim evitá-la.

Não faço ideia de qual é a porcentagem de pessoas no planeta que também ficam EXTREMAMENTE IRRITADAS e PERIGOSAS quando são obrigadas a ouvir música em alto volume, mas sei que, para o bem de toda a sociedade, som alto deveria ser crime, porque é uma violência covarde que gera mais violência.

Ainda não estou falando das brigas como as que eu tenho, quase diariamente, com vizinhos, transeuntes, passageiros de ônibus e donos de bares, essa parte eu até acho divertida porque consigo irritar o responsável pelo som quase tanto quanto ele me irrita. Pode parecer estupidez e tentativa de suicídio, mas foi a forma não sanguinária que encontrei para me vingar já que a Amma tem sido muito boazinha por aqui.

Recentemente minha briga com um vizinho chegou às vias de fato e nós fomos parar na Delegacia da Mulher, mas quem me conhece bem deve saber que achei bastante prazeroso passar todo esse contrangimento na pessoa que por mais de dois anos me irritou MUITO por causa do som alto. Antes que alguém entenda errado, eu fui agredida e não revidei, porque sou totalmente contra a agressão física.

Este blog respeita sua dificuldade para interpretar textos irônicos e por isso avisa: o objetivo da autora não é incitar a violência, mas sim evitá-la.

Quando digo que som alto gera mais violência estou falando das pessoas que, ao contrário de mim, não têm coragem ou simplesmente são pacíficas demais para reclamar direto com “a fonte” e acabam descontando a irritação em outras pessoas. Fico tentando imaginar quantas brigas familiares, entre amigos, entre colegas de trabalho e até entre estranhos foram provocadas tão somente porque um deles estava extremamente estressado por culpa de uma terceira pessoa que abusou do volume do som.

Infelizmente a nossa legislação atual não tem punição específica para quem faz uso de som alto, mas esse incômodo entra na contravenção chamada “perturbação do sossego”. Ou seja, não é crime ainda, o que na minha opinião é uma falha gravíssima, já que a pena é bem leve e ainda pode ser substituída por multa.

Eu não tenho os equipamentos adequados para demonstrar isso, mas se algum pesquisador interessado no assunto estiver lendo este post, me ofereço como cobaia para que observe as reações do meu cérebro ao estímulo de som alto e assim seja provada a minha hipótese:

Som alto indesejado provoca suicídios, agressões físicas, divórcios, inimizades, demissões, falências, desperta o instinto assassino e pode favorecer o surgimento de serial killers.

Não precisa ficar com medo de mim, eu não sou serial killer, por enquanto.

Este blog respeita sua dificuldade para interpretar textos irônicos e por isso avisa: o objetivo da autora não é incitar a violência, mas sim evitá-la.

Observação: O post está sem imagens porque Helen Fernanda se mudou de bairro e teve que voltar a ser cliente de uma incompetente empresa chamada Oi. Enquanto a operadora não decide se instala ou não instala o telefone e a banda larga da blogueira, ela tem que usar uma internet sem fio bem lenta, que não permite baixar muitas imagens em pouco espaço de tempo.

Até mais!

27 comentários:

  1. Eu sou o contrário, adoro som alto! Mas só de músicas que contenham sons graves, tais quais: funk, black, rap, hip-hop e por ai vai. Músicas com agudos eu não suporto de jeito nenhum no volume alto.

    Já tive várias discussões, com minha vizinha por causa dessa questão, ela vive reclamando quando eu coloco música alta (só consigo arrumar a casa, e fazer outras coisas ouvindo música alta), e já até ligou pro dono da casa onde eu moro - que é alugada -, para reclamar de mim.

    A questão é que 'vira e mexe', ela dá umas festinhas pra turminha da filha dela que faz faculdade, até 3-4hs da manhã e ninguém fala nada, e ela ainda se diz no direito pelo fato de a casa dela ser própria. (coitada) kkkkk

    Eu me divirto demais rindo da cara dela quando coloco música alta, ela fica realmente fu**da! Essa não é uma atitude muito madura, mas que é muito engraçada, ah isso é! kkkkk

    Gostei do artigo!

    ResponderExcluir
  2. Igor, estou rezando para nunca ser sua vizinha.

    Eu também gosto de fazer tudo ouvindo música e dentro de casa o som fica mesmo alto (às vezes não ouço o telefone tocar, por exemplo), mas quem está fora da casa não ouve nada porque não precisa ser tão alto assim, a ponto de vizinhos escutarem.

    Acredite: além dessa mulher que tem coragem de reclamar, provavelmente existem muitas pessoas que sofrem sem te falar nada, inclusive idosos e recém-nascidos.

    Se ela faz festa e ninguém reclama, quem está errado não é só ela, mas também quem se omite. Muita gente simplesmente não percebe quando está incomodando e quem cala consente.

    Espero que um dia tenha juízo o bastante para não mais importunar ninguém com som alto ou que ganhe logo o suficiente para equipar sua casa com isolamento acústico completo.

    Até mais!

    ResponderExcluir
  3. acho que do mesmo jeito que as camrras de celular tem obrigatoriedade de ter som quando dispara, deveria ser proibido som alto nos falantes, de restringindo apenas a algum viva voz. e so para salientar: e proibido aparelho de som dentro de coletivos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Helen

    Eu gosto de ouvir música com o volume alto, mas respeito vizinhos e quem mora comigo. Não tenho aparelho de som, mas minha tevê tem a opção turbo e, acredite, fica muito alto se eu quiser.

    Também fico irritado quando algum vizinho resolve colocar o som num volume que atrapalhe o que estou fazendo, embora seja algo raro por aqui. Geralmente, essas pessoas acham que todo mundo quer ouvir também ou têm sonhos de ser DJ. Como se estivessem dizendo: olha que som legal! Viu como tenho bom gosto?

    O pior é que nunca percebem que não estão agradando e quase sempre as músicas são péssimas.

    Boa sorte na casa nova!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, Max Martins, concordo com você. essa mania de ouvir som abusivamente alto ou de péssima qualidade, reflete o que temos no Brasil : muita gente ignorante e sem educação. pode ter certeza que em país de primeiro mundo, a tolerância é zero contra tais práticas. valeu

      Excluir
    2. som alto e de péssima qualidade, reflete a cultura do Brasil, ou seja, sinal de pobreza, ignorância e subdesenvolvimento. pode ter certeza que as pessoas que perturbam, não contribuem em nada para o país e na maioria, são pessoas analfabetas ou semi-analfabetas.

      Excluir
  5. Erik, meu método para me vingar dos "DJs de ônibus" (esses que colocam música alta no celular) é ficar falando o tempo todo durante a viagem e em voz alta: "DJ, troca a música. Toca Lady Gaga!"; "DJ, música gospel desperta meu desejo de suicídio. Troca a música. Toca Bee Gees." É claro que eles não desligam, porque são pirracentos, mas morrem de irritação. kkk Adooooro!!!

    Max, é verdade: quase sempre as músicas são péssimas. Pelo menos aqui em Goiânia nunca ouvi ninguém escutando Zé Ramalho, Chico Buarque de Holanda, Cartola, Tom Jobim ou Pixinguinha com som alto, sempre é alguma porcaria sonora que faz um "ti-tum-ti-tum-ti-tum" dos infernos e que dói até na alma.

    ResponderExcluir
  6. Simpatizo com você porque antes eu morava em um prédio que só alugava apartamento pra estudante universitário, e então toda a noite eu tinha que ouvir o som alto deles e as festinhas deles até as 4 da manhã. No fim resolvi mudar ao invés de ter que lidar com um bando de ignorante filho de papai.
    Enfim...


    Cuidado para não levar um tiro. ><

    ResponderExcluir
  7. Clarissa, se alguém quiser me dar um tiro vai conseguir fazer isso eu tomando cuidado ou não, por isso não faz sentido eu me preocupar com algo que não posso evitar. :)

    Aqui em Goiânia quem cuida desse tipo de problema sonoro é a Agência de Meio Ambiente, mas ela tem sido muito criticada por sua postura excessivamente "amigável". Como ninguém tem medo de levar multa por causa do som alto, muitos abusam.

    ResponderExcluir
  8. Olá Helen,

    Parabéns pelo fórum. Simplesmente esplêndido ! Repleto de diversos conteúdos, parabéns novamente.
    Se você pudesse dar uma passada em meu blog para observar a lista de tutoriais..

    Até mais !
    Suporte Blogger.

    ResponderExcluir
  9. Na verdade som alto depois das 22h é crime sim, mas como estamos no Brasil na maioria das vezes não dá em nada.

    ResponderExcluir
  10. Pior aqui, é concorrência de som. A vizinha fica colocando som bombando (com péssima música) e o pior, canta junto! Então eu me vi no direito de colocar meu Stereo de 8 "caixinhas" de som no máximo toda vez que ela fizer isso, (ou quando ela fica xingando o próprio marido de corno e ofendendo os filhos). Morar em sobrado é uma triste realidade que eu vivo.
    PS: Visito sempre o blog, parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Yan, graças a Deus o lugar onde moro atualmente é tradicionalmente tranquilo. É uma rua onde os vizinhos mais antigos se unem contra gente barulhenta, o que é raro. É claro que, por causa disso, o aluguel é bem mais caro, mas tem valido a pena.

    ResponderExcluir
  12. É gente!!! esse problema de som alto (com músicas de péssimo gosto) não é previlégio só de vocês. Aqui na cidade de Guapó esse problema de som alto em bares já se tornou um problema crônico, sem falar nos carros que ficam circulando pela cidade com som automotivo tirando o sossego da população. O pior de tudo é que a fiscalização nada faz e quando você liga reclamando, os fiscais simplismente dizem que não podem fazer nada já que os bares tem licença para usar som até o limite de 85 decibeis.
    Imagine! aqui a fiscalização serve somente para proteger os perturbadores, é como se os fiscais estivessem nos querendo dizer que a culpa é dos moradores por residirem próximo dos bares, sendo que os bares surgem com muita facilidade em áreas residenciais, qualquer esquina onde tem uma casa com espaço na frente é facil de abrir um bar.
    Parece absurdo, mas um amigo meu teve que sair de sua casa e ir morar de aluguel por causa de um bar que covardemente abusa de som alto e de forma intencional, porque sabe que os vizinhos se sentem incomodados, estamos vivendo uma inversão de valores onde o que é imoral e errado está se tornando certo.

    ResponderExcluir
  13. Marrone, muito triste isso. As cidades goianas nâo têm regulamento definindo onde pode construir residência e onde pode ter comércio. É uma bagunça! Todo mundo faz boteco onde quer e quem mora perto que se lasque. Realmente é um problema sério. Triste isso.

    Os que mais sofrem são as crianças (que se irritam com o barulho e não sabem explicar) e os idosos (que geralmente são pacíficos e não querem saber de briga). :(

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pelo belo trabalho, já sou fã e estou te seguindo!

    ResponderExcluir
  15. Olá Helen, exatamente neste momento meu (infelizmente) vizinho está danda uma festa com o som no último volume (axé, pagode, funk e outros lixos, porém independente da qualidade da música o problema é o volume!). 1h20 da manhã e a "festa" a toda. Compreendo perfeitamente seu comentário e embora seja uma pessoa normal (ou quase) nesses momentos parece que em mim habita um serial killer... ainda bem que não tenho (nem pretendo adquirir uma metralhadora)... mas que o ódio gerado por esses imbecís provoca o pior de mim, certamente provoca...

    ResponderExcluir
  16. Anônimo, acho que em nosso processo evolutivo ainda chegará a hora em que teremos condições de "fechar os ouvidos" para não ouvir mais nenhum som. A audição é o único sentido que nunca desliga. Muita sacanagem isso.

    ResponderExcluir
  17. somente brasileiros, especialmente goiania (que sao realmente uns roceiros)
    eu nao pedi para ser insultado por esta porcao de palavras que voces chamam de musica, nessa altura, isso é desrespeito a minha liberdade, e estao empurrando essa merda dentro de mim.
    destesto ser brasileiro, me envergonho muito de ter nascido em um pais como este povo burro, ignorante demais para mudar.
    vao continuar a sofrer sem mudar.

    ResponderExcluir
  18. Ótimo texto!

    Muitas pessoas realmente não tem o mínimo de educação,tampouco respeito pelo semelhante. Acho que o gênero musical não importa quando o som ultrapassa o limite do bom senso,se bem que existem alguns que são mais irritantes.
    Quando estou lendo por exemplo,não gosto de escutar nenhum tipo de música,nem aquelas que aprecio.

    ResponderExcluir
  19. Se eu tivesse uma metralhadora eu estoraria a caixa de som, realmente a gente dar vontade de cometer loucuras fico angustiada ,dar vontade de soltar uma bomba lá na casa deles.daí passa os aviões, as motos barulhentas e por aí vai.Ainda bem que eu não possuo armas em minha posse...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que eu não possuo armas em minha posse. [2]

      Excluir
  20. Helena Fernanda partilho de seu pensamento sobre esse assunto, moro em Ceilandia-Df e o Ibram, aqui tem sido conivente com esse problema, aliás em todo o país as entidades publicas tem sido coniventes. Em relação aos problemas que você mencionou, eles são bem piores, há estudos que mostram que não apenas stress, mas dores de cabeça, abortos, má formação do feto, pressão alta, insonica e mesmo depressão são doenças causadas por ruído, precisamos pressionar de alguma forma o poder publico, a meu ver apenas quando perceberem que o número de descontentes com esse problema é bem maior que os praticantes, os políticos passarão a dar importância pois perceberão que se não falarem nisso em suas campanhas perderam votos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sardes, meu nome é Helen. :)

      Aqui perto, em Aparecida de Goiânia, o prefeito parece estar levando a sério o problema da poluição sonora, mas aqui em Goiânia continua a mesma história. Tá difícil, viu? Outro dia fui perto de um carro com som automotivo para anotar o endereço e passar para a Amma (eles só registram a reclamação se eu souber endereço completo, com quadra e lote), o filho da puta rasgou meu bloco de notas inteirinho. Não é à-toa que som alto é causa de morte no Brasil.

      Sei bem como é em Ceilândia. Tenho uma tia que mora aí. É tenso!

      Quando chega a esse ponto é porque realmente precisamos das autoridades para resolver o problema. Enquanto eles não estiverem nem aí estaremos correndo risco de matar ou morrer quando vamos reclamar pessoalmente.

      Até mais!

      Excluir
  21. S.O.S.: POLUIÇÃO SONORA TOLERÂNCIA ZERO!!!

    TORTURA É CRIME!!!
    ESSA BARBÁRIE TEM QUE ACABAR!!!
    DENUNCIEM!!!

    - As vítimas da poluição sonora agradecem aos sites encontrados na Internet.

    http://joseluizalmeida.com/2007/06/06/a-poluicao-sonora-e-o-direito-a-indenizacao-por-danos-morais/

    http://www.mp.pe.gov.br/index.pl/20090411_sonora
    http://www.somsimbarulhonao.com.br/index.php/cartilha/
    http://www.somsimbarulhonao.com.br/index.php/conte-sua-historia/

    ResponderExcluir
  22. Neste exato momento o meu vizinho maldito está com som altíssimo, já chamamos a polícia, mas não adianta muito porque eles abaixam na hora mas quando os policiais vão embora ou no outro dia eles colocam o som alto de novo, dá uma vontade de pegar uma metralhadora e sair como uma louca atirando, tipo o Rambo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui só funcionou quando registrei TCO. Quando o (ir)responsável recebeu a intimação já ficou bem mais educado com o barulho. Na audiência falei que se ele mantivesse como estava (depois da intimação) estaria bom pra mim. Amém!

      Ainda sofro com o problema, mas são outros vizinhos mais distantes e menos frequentes. Quando a Polícia Civil voltar da greve aqui em Goiás eu vou pensar se registro ou não mais TCOs.

      Quando fiz esse post eu morava em uma rua que tinha vários barulhentos no fim de semana e ainda tinha o barulho dos bares e pit-dogs da avenida próxima à minha casa, então era mais complicado. Em maio/2013 me mudei para um lugar bem mais tranquilo. \o/ Mas em compensação, quando um único infeliz resolve fazer barulho, é uma tristeza.

      Boa sorte!

      Excluir

Posts relacionados