Busca

Carregando...

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Números de emergência no celular

EmergênciaA gente nunca quer pensar que o pior pode acontecer, mas infelizmente não podemos evitar as fatalidades. O melhor então é tomar algumas precauções para que, quando necessário, o socorro e o consolo cheguem o mais rápido possível.

Como o celular é nosso companheiro quase inseparável, ele pode ser uma ferramenta muito útil nesses momentos. Mesmo que algum desconhecido ligue para o Samu (192), os Bombeiros (193), a PRF (191), a PM (190) ou outro serviço de emergência e você seja socorrido a tempo, algumas decisões importantes e rápidas como o registro de um boletim de ocorrência, uma cirurgia de risco, uma transfusão de sangue ou a transferência para um hospital particular precisam ser tomadas por alguém da família enquanto você não tiver condições de responder por si.

Seguem algumas dicas de como identificar seus contatos de emergência no seu próprio celular. Faça o mesmo nos celulares de todas as pessoas de sua família, principalmente crianças, adolescentes e idosos.

  1. Não identifique os parentescos
  2. Mantenha os números SOS entre os primeiros
  3. Salve os contatos SOS no aparelho e no chip
  4. Poupe idosos, grávidas e pessoas “naturalmente” desesperadas

1. Não identifique os parentescos

Quase todo mundo que conheço identifica seus familiares no aparelho celular como “mãe”, “pai”, “mana”, “brother”, “amorzinho” achando que assim estarão protegidos. Você pode até estar, mas seus parentes não. Quando alguém roubar seu celular vai poder facilmente cometer um segundo crime que é o trote de falso sequestro.

Quando roubaram o celular da minha irmã, alguém ligou para meu telefone fixo já clamando meu nome e fingindo ser ela em desespero durante um sequestro. Coincidência ou não, a mulher que ligou tinha uma voz parecida com a da minha irmã, só que ela errou ao pedir para eu chamar minha mãe. Não moro com a minha mãe e, mesmo se morasse, só teria lógica (de acordo com nosso contexto familiar) minha irmã pedir para minha mãe me chamar, não o contrário. Mesmo assim foi uma situação EXTREMAMENTE desagradável, já que nos primeiros segundos da ligação acreditei ser verdade e isso foi suficiente para me deixar muito medrosa, irritada e mau-humorada durante muitos dias.

MORAL DA HISTÓRIA: Por amor a seus familiares, não os identifique na agenda do seu celular. Se o ladrão quiser saber quem é quem nos seus números de emergência, que se dê ao trabalho de ligar perguntando ou pelo menos buscar no Facebook. #HumorNegro

2. Mantenha os números SOS entre os primeiros

Em alguns aparelhos móveis, os números são ordenados antes das letras. Se o seu celular é assim, você pode apenas numerar os contatos de emergência de acordo com a prioridade e usar a sigla SOS para que fique bem claro o motivo pelo qual eles aparecem primeiro. Segue um exemplo:

1 SOS Ambulância
0800-0800-0800
2 SOS Lúcio obstetra
(62) 33333-3333
3 SOS Mayara
(62) 44444-4444 
4 SOS Luciano
(61) 55555-5555
5 SOS Jonas
(31) 55555-5555
6 SOS Kátia
(21) 77777-7777

Observe que coloquei o telefone da ambulância do plano de saúde em primeiro lugar e logo em seguida o telefone do obstetra, seria a ordem como eu salvaria meus contatos de emergência se eu estivesse grávida. Note também que coloquei logo em seguida Mayara, Luciano, Jonas e Kátia mas não identifiquei se são amiga, marido, pai e cunhada; irmã, vizinho, marido e amiga; mãe, amigo, irmão e madrinha. Isso garante que chamem as pessoas certas em caso de emergência e ao mesmo tempo desanima bastante o ladrão que pensa em passar um trote de falso sequestro.

Em outros aparelhos, qualquer caractere inicial que não seja letra vai para o final da agenda. Nessa situação, ao invés de números coloque antes dos contatos as primeiras letras do alfabeto - aaa, aab, aac – assim você garante que fiquem entre os primeiros para acesso rápido e na ordem desejada. Segue um exemplo de como está a sequência dos contatos de emergência no meu celular:

aaa SOS Plano de saúde
0800-0800-0800
aab SOS Meu trabalho
(62) 33333-3333
aac SOS Fulana
(62) 44444-4444
aad SOS Beltrana
(62) 55555-5555
aad SOS Sicrano
(61) 22222-2222
aae SOS Cipriana
(19) 33333-3333

Note que, logo após o 0800 de emergência do meu plano de saúde, coloquei o telefone do meu trabalho porque pode ser mesmo um acidente de trabalho e também por logística, já que moro perto da empresa e meus familiares mais próximos aqui em Goiânia não têm carro. Entre os últimos contatos de emergência coloquei familiares que não moram em Goiânia, seja para o caso de não conseguirem falar com as pessoas mais próximas ou para o caso de eu sofrer algum sinistro em outra cidade.

3. Salve os contatos SOS tanto no aparelho quanto no chip

Mantenha os números de emergência no aparelho e no chip, para o caso de um dos dois não funcionar. Deixe também um papelzinho na carteira com os números mais importantes. Se você estava sozinho e o ladrão te deu um tiro na barriga antes de levar sua carteira e seu celular, talvez seja mesmo seu dia de morrer boa sorte.

4. Poupe idosos, grávidas, cardíacos e pessoas com tendência ao desespero

A não ser que a pessoa idosa/grávida/cardíaca em questão seja médica e por isso já esteja acostumada a essas emoções, evite colocá-la na sua lista SOS. Quando um terceiro (paramédico, enfermeiro, médico…) liga nessas horas quer mesmo é que a pessoa chegue o mais rápido possível para acompanhar a situação e tomar decisões, então vai direto ao ponto, podendo assustar quem está do outro lado da linha. Se for uma pessoa com coração sensível demais, não é impossível que morra de susto, literalmente.

Também evite colocar entre seus contatos SOS quem já tem tendência a se desesperar por qualquer motivo. Em uma situação de perigo real essa pessoa pode ter reações bastante exageradas, atraindo atenção para si e atrasando o socorro a quem mais precisa. Se a pessoa desesperada for muito próxima (mãe, irmão, companheiro) é melhor que só fique sabendo da situação depois de tomadas as primeiras decisões e providências.

Já ouvi falar de aparelhos em outros países que têm posições reservadas para os contatos de emergência e também de aparelhos que reconhecem a sigla SOS e já colocam no começo da lista. Nunca vi nem usei, mas se for verdade desejo que em breve todos os aparelhos sejam assim porque isso padroniza a forma de uso e facilita bastante a vida de socorridos e socorristas.

Na minha época de faculdade tive uma convulsão dentro da biblioteca da UFG. Em caso de epilepsia não há muito o que fazer além de esperar a crise passar, mas como eu não tinha os contatos de emergência identificados no meu aparelho, levaram algum tempo para achar o telefone do serviço do meu pai para que ele fosse me buscar.

IMPORTANTE - Essas dicas não brotaram da minha cabeça. Apenas organizei em um post e criei um método usando as recomendações que aprendi com a polícia e os próprios socorristas que sempre falam sobre isso em programas de TV.

Espero que nunca precisem ligar para seus contatos de emergência, mas vai que…

Posts relacionados