Busca

Carregando...

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Perfume Beauty, Calvin Klein

Beauty, Calvin Klein

Noto que, desde a década de 90, os perfumes da grife Calvin Klein têm em comum algo que poderíamos chamar de “culto à limpeza”¹. São cheiros que lembram álcool em gel, lençol branco limpo, corredor de hospital, câmara hiperbárica, maresia em uma ilha deserta. As fragrâncias da marca praticamente dizem que “ser chique é ter cheiro asséptico”.

Com Beauty a tendência se mantém. Mesmo na companhia de outras flores e do cedro, o jasmim chega a um ponto em que é difícil distinguir o perfume de um desinfetante suave. Para a Calvin Klein, ser “beauty” é ter cheiro de banheiro limpo.

Depois de um tempo, o cedro ganha “espaço”. Aí o cheiro de desinfetante de jasmim se transforma, gradativamente, em cheiro de óleo de peroba. Agora Calvin Klein está me dizendo que ser “beauty” é ter cheiro de móveis lustrados.

  • Floral branco amadeirado
  • Notas de topo: almíscar de ambreta
  • Notas de coração: jasmim
  • Notas de base: cedro

Beauty é uma fragrância limpa, elegante, feminina, romântica e quase suave. Agrada fácil quem gosta da combinação de cedro e jasmim. Mas poderia ser um perfume muito melhor. A fragrância não foi bem elaborada. Há muitos defeitos na harmonia e a evolução é miserável, se é que podemos chamá-la de evolução.

Mas mesmo assim, acreditem… eu adoro esse perfume! Também pode agradar quem já curte:

Resenhas bem melhores sobre o mesmo perfume:

Veja o preço de Beauty na Época Cosméticos.

Bom cheiro!

Foto: Freebie Fanatics

  1. Há uma frase parecida no livro O Imperador do Olfato (Chandler Burr), usada por Luca Turin para se referir a todos os perfumes estadunidenses, mas infelizmente não encontrei a página.
Posts relacionados