Estou de férias em setembro, por isso talvez não atualize toda semana.

Helen Fernanda

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Método para poupar dinheiro

Cofrinho

Começar a poupar dinheiro é complicado porque é preciso reeducar o cérebro. É muito difícil, por exemplo, aceitar que aqueles R$ 100,00 que você colocou na poupança este mês têm que ficar lá “quietinhos”, sendo que acabou a tinta da impressora e só vai dar para comprar outro cartucho quando vier o próximo salário. Se identificou com a situação? Este post é para você, ou melhor, para nós.

Meu método é simplesmente besta (e bestamente simples), mas funciona e tem me ajudado a não sacar dinheiro da poupança por meses. Sei que existem muitas outras formas de poupar e investir dinheiro, algumas até bem mais lucrativas, mas para nós, que ainda estamos adquirindo hábitos financeiros saudáveis, uma poupança com metas de curto prazo é uma ótima forma de treinar o sistema de recompensa do cérebro para que ele finalmente entenda que poupar vale a pena.

  1. Descubra qual valor você pode poupar
  2. Defina sua meta
  3. Abra uma poupança bem longe
  4. Quebre o cartão
  5. Transfira ou deposite todo mês o valor estipulado
  6. Não crie senha para movimentar na internet
  7. Anote em sua agenda
Moedas reais

1. Descubra qual valor você pode poupar

Dizem os especialistas que se você não consegue economizar 30% de sua renda líquida sem comprometer suas despesas essenciais (água, luz, aluguel/prestação da casa, plano de saúde), não é seu salário que é pouco, mas sim seu padrão de vida que está acima do que você ganha. E como se trata de porcentagem, a regra vale para todos, ricos e pobres.

Dependendo de quantas pessoas você sustenta atualmente, começar com 30% pode ser cruel, então sugiro que tente poupar pelo menos 10% e vá cortando gastos para adequar seu padrão de vida a seu salário. O importante é começar a poupar algum valor "religiosamente" todo mês. Não vale mais adiar o início desse bom hábito.

2. Defina sua meta

Onda no mar

Como este método é para quem está "remoldando" o cérebro, simplesmente poupar é quase impossível porque a gente acaba correndo para sacar o dinheiro na primeira "necessidade": um cartucho para a impressora, por exemplo. Então sugiro que você saiba desde o início qual é o objetivo da poupança: tirar CNH, dar entrada em uma casa, comprar um carro à vista, comprar um lote, abrir um negócio, viajar. Para manter a motivação, tem que ser algo que:

  • você precise ou deseje muito;
  • não consiga pagar à vista;
  • possa esperar alguns meses para realizar.

Sugiro que o tempo necessário para juntar o dinheiro seja superior a seis meses e inferior a um ano. Depois que você conquistar a primeira recompensa pelo hábito de economizar, provavelmente vai querer estabelecer metas com prazos maiores.

Um exemplo:

  • Posso economizar: R$ 200 por mês.
  • Quero resgatar em: 8 meses.
  • Para comprar: um computador.

Desde já estabeleça também que: se no dia de sacar, o preço do seu desejo de consumo estiver acima do planejado, você vai continuar economizando mais alguns meses; se estiver abaixo, o que sobrar permanece na poupança. Não vale sacar para comprar miudezas. Caso queira comprar outra coisa com o dinheiro, siga as mesmas regras: algo que você deseje muito e que não consiga pagar à vista.

3. Abra uma poupança bem longe

Estrada distante

Escolha uma agência distante da sua casa, do seu trabalho, de todos os lugares que você frequenta de 2ª a 6ª feira em horário comercial. Se você usa transporte público, tem que ser um lugar cujo acesso dependa de no mínimo duas conduções. Caso você ande de carro, além de longe a agência não pode ter nenhum estacionamento por perto. Se puder abrir a poupança em uma cidade próxima, melhor ainda.

O único banco que conheço que permite abrir conta poupança desvinculada de conta corrente é a Caixa Econômica Federal. Caso no seu Estado haja outro que permita isso, tudo bem. O importante é ser poupança (para não ter cobrança de tarifa e ainda render um tiquinho), não estar vinculada a outro tipo de conta (para você não ter cartão nem movimentar on-line) e ser distante (para você não sacar pessoalmente antes da hora).

4. Quebre o cartão

Assim que tiver acesso ao cartão de débito da conta, quebre-o em pedacinhos. A facilidade dos caixas eletrônicos e das máquinas de débito não favorecem a manutenção da poupança.

5. Transfira ou deposite o valor todo mês

Não espere nem um dia após receber seu salário ou sua principal renda. Se você calculou direito no passo 1, não há risco de não sobrar para as contas essenciais.

Cuidado. Nada de "este mês não vou depositar os R$ 100,00 porque tenho que comprar cartucho para a impressora, mas no mês que vem deposito R$ 200,00." Quer enganar quem? No mês que vem você vai "precisar" comprar outra coisa e vai acontecer o mesmo, só que passará a dever R$ 300,00 para sua poupança. Lembre-se que não é à-toa, você tem um objetivo definido para esse dinheiro. Controle-se!

Carteira

A partir do momento em que você define o valor para poupar, tem que separá-lo também mentalmente. Por exemplo: se você recebe R$ 1.000,00 e se comprometeu a economizar R$ 300,00, sempre que pensar em seu salário imagine apenas R$ 700,00. Sei que para muitos parece autoflagelamento, mas isso é porque nós não temos educação financeira desde a infância. Quando a gente pensa em “R$ 1.000,00 de salário líquido” também está pensando “tenho R$ 1.000,00 para gastar todo mês”, então é preciso “burlar” essa vontade de gastar tudo de alguma forma.

Você já teve um ganho muito grande de salário de um mês para o outro? Se lembra que nos primeiros meses você conseguia fazer tudo o que queria e ainda sobrava porque seu cérebro e seus hábitos ainda estavam de acordo com o salário anterior? A lógica é a mesma.

6. Não crie senha para movimentar na internet

No máximo faça a senha de visualização pela web, assim você confere o saldo todo mês e fica orgulhoso de estar economizando. Caso abra a poupança na Caixa, a senha de visualização você cria no próprio site, enquanto a senha de movimentação você só cria na agência.

Para muita gente, ver o saldo da poupança dá mais vontade de gastar antes da hora, então evite se você for assim.

7. Anote em sua agenda

Qual é a data prevista para resgatar seu pequeno investimento? Anote no calendário. Sugiro também o Google Agenda, porque ele pode te mandar e-mail alguns dias antes e você planeja a “viagem” até a agência.


Este é só um começo possível para aprender a poupar e investir. Não sou especialista, mas sou uma aprendiz que tem dificuldade para lidar com dinheiro e por isso cria seus próprios macetes. Devo voltar a falar sobre isso aqui no blog porque é um assunto que me interessa muito e a cada dia mais.

Até!

Imagens: www.sxc.hu

4 comentários:

  1. Muito bom o texto. Atualmente estou economizando grana para comprar um smartphone (estou usando o velho e bom cofrinho mesmo, rsrs). Fiquei sabendo que no final desse ano vão aprovar uma lei que vai diminuir bastante o preço deles, pois eliminarão alguns impostos. Logo isso vai me ajudar, pois pretendo comprá-lo no início do ano que vem. O modelo pretendido é um Omnia W com o Windows Phone. Estou curioso a respeito desse sistema, e o smart parece que vai atender as minhas necessidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, o problema do cofrinho é que o dinheiro vai perdendo valor com o tempo, mas desejo sucesso com sua meta. ;) Eu não entendo nada sobre smartphone, não posso dar palpite algum sobre sua escolha, boa sorte.

      Excluir
  2. Eu costumava guardar moedas de R$ 1,00 há uns anos e agora guardo notas de R$ 5,00 - toda nota de R$ 5,00 que cai na minha mão, durante o ano. Então, todo mês de dezembro tenho um valor legal pra gastar no que quero. Acho um método legal, que vc pode agregar a outros. Hoje (março/2013) a poupança tem rendido pouco, então poupança e cofrinho dá quase na mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho o cofrinho um método interessante para a educação financeira das crianças. Mas não dá para comparar com a poupança. Além de não render nem um centavo, sofre efeito da inflação. Ano passado ela foi de quase 6%.

      Gostei da ideia de associar a economia ao “acaso”, já que nunca se sabe quantas notas de R$ 5 realmente vão passar por sua mão, mas eu as depositaria na poupança também.

      No meu caso não seria dificuldade porque tem caixa eletrônico e agência bancária onde eu trabalho, mas se não tivesse, eu colocaria as notas de R$ 5 em um envelope e depositaria na primeira oportunidade. Pra mim, qualquer centavo de lucro é melhor que 6% de prejuízo.

      Mas cada um faz como acha melhor. Se esse método funciona pra você, continue com ele. :)

      Excluir

Posts relacionados