Busca

Carregando...

quinta-feira, 7 de março de 2013

Posso dar perfume de presente?

Presente dourado

Sempre vejo sites, no Brasil e no exterior, sugerindo perfumes para presentear. Isso confunde as pessoas que ficam em dúvida se podem ou não podem dar fragrâncias.

A regra é clara: não dê perfume de presente, nem mesmo aquele famosinho que você acha que todo mundo gosta.

Por que não?

Se você ganha uma camiseta ou um sapato e não gosta, basta ir à loja e trocar. Perfume geralmente não dá para devolver.

  • Os perfumes importados devem ser vendidos lacrados. Se você devolve um perfume experimentado, a loja não vai conseguir vendê-lo a outro cliente, por isso não aceitam trocas.
  • Se você borrifa o perfume uma vez para experimentar, já gastou parte do conteúdo. Se o mesmo frasco for devolvido várias vezes, os próximos clientes vão notar a diferença. Mais um motivo pelo qual ele não pode ser repassado.
    Quando a loja aceita troca, os produtos devolvidos viram testers. Para a loja, isso não compensa, já que podem comprar frascos de testers bem mais baratos.
  • Diferente de uma loja de departamento, que tem muitos produtos na mesma faixa de preço, na perfumaria os valores são muito diferentes. Se a loja aceitar a devolução (algo realmente raro), a pessoa presenteada vai ter pouquíssimas opções de troca e ainda vai ter que completar o valor (ou deixar lucro para a loja).

As exceções

Provavelmente as pessoas não teriam dúvidas sobre isso se não existissem as exceções. Vamos a elas:

Petite Cherie - Annick Goutal

1. Para suas crianças. É normal os pais, geralmente as mães, escolherem perfumes para seus filhos desde bebês. Criança adora cheiros e dificilmente vai reclamar de um perfume, a não ser que provoque reação alérgica ou esteja associado a uma experiência muito ruim.

Além de escolher um perfume adequado à idade, prefira uma marca que você consiga comprar sempre. Se você já der “de cara” para a criança um Annick Goutal, esse vai ser o parâmetro dela. Quero ver se depois você consegue convencê-la a usar Avon.

E evite dar perfumes para filhos dos outros. Só se arrisque se você tiver uma relação muito próxima com a criança e a mãe dela.

2. Para a pessoa que já sabe exatamente qual perfume quer. Até anotou e mandou por celular para você não errar.

Se for surpresa, certifique-se de que a pessoa realmente gosta daquele perfume e não enjoou dele ainda. E confira qual é a versão correta. Nada de flanker errado nem de confundir EDT com EDP.

3. Para alguém que você possa levar à perfumaria. A pessoa experimenta na pele, gosta, escolhe, você apenas concorda e paga a conta.

4. Vale-presente de uma perfumaria. A pessoa vai à loja e escolhe a fragrância que preferir.

5. Perfume de loja física que aceite troca de presentes. Nesse caso, só não vá escolher o mais barato da loja porque assim a pessoa não consegue trocar por mais nada sem completar em dinheiro.

Se for uma loja que só venda marca própria, verifique se a pessoa gosta da identidade olfativa da marca. Eu, por exemplo, já ganhei um perfume O Boticário que troquei por creme e óleo hidratante por não gostar das fragrâncias. O creme consegui usar, mas o óleo tenho até hoje porque já enjoei do cheiro.

6. A pessoa confia na sua escolha. Ela diz que quer um perfume, você pergunta qual e ela diz para você escolher. Geralmente isso acontece entre namorados e entre pais e filhos, é difícil confiar tanto assim no gosto de outra pessoa.

7. Você quer mesmo saber a reação da pessoa. Pode ser que você queira tanto surpreender alguém que você dá o perfume mesmo sem se encaixar nas situações acima. No fim das contas, seu prazer não é agradar, mas sim saber a reação da pessoa. Se for uma reação positiva é lucro.

Fora isso, siga a regra: não dê perfume de presente.

Até mais!

Posts relacionados