Estou de férias em setembro, por isso talvez não atualize toda semana.

Helen Fernanda

domingo, 16 de junho de 2013

Desafio: lesão corporal causada por barulho

Vocês já sabem que vizinho barulhento me dá dor de cabeça, literalmente. Ainda mais quando se trata de som automotivo. Eu já falei aqui que considero o excesso proposital de barulho uma forma covarde de violência. Por isso não tenho a menor dúvida de que o enorme incômodo que isso me causa, principalmente por causa da dor de cabeça, é um tipo de lesão corporal. O desafio é: como provar?

  • Como provar que a dor de cabeça, a insônia ou qualquer outro transtorno físico foi realmente causado pelo som alto?
  • Quais exames poderiam provar que esses sintomas estão realmente acontecendo?
  • Como comprovar a frequência do som alto? Que tipo de prova física poderia ser utilizada para mostrar que aquele barulho é recorrente? Vídeos caseiros seriam aceitos para isso?
  • Que tipo de lesão corporal seria? Leve, grave (porque impede de realizar funções de rotina) ou privilegiada (por causa da enorme irritação causada)?

Apesar de termos uma boa legislação, a fiscalização no Brasil ainda não está preparada para lidar com a poluição sonora e a perturbação do sossego. Em muitos municípios, nem multa os barulhentos pagam. Então é muito provável que alguém já tenha pensado nisso antes: transformar uma ocorrência de perturbação do sossego em uma ocorrência de lesão corporal. Alguém já tentou?

Eu já tenho o hábito de transformar problema com barulho em algum crime que a polícia leve a sério, mas de uma forma mais arriscada: vou pessoalmente até o barulhento reclamar e insisto para que ele abaixe o volume de forma que não chegue à minha casa fechada. Não saio de perto enquanto ele não abaixa o som. Se ele abaixa, ótimo!

Mas se ele não concorda em diminuir o volume e eu continuo insistindo, uma hora o barulhento (que geralmente está bêbado ou drogado) se irrita ao ponto de me empurrar, tentar me bater ou até mesmo me ameaçar de morte. Então chamo a polícia e registro a ocorrência referente à lesão corporal ou à ameaça de morte. Infelizmente é só assim que consigo fazer a PM aparecer, testemunhar o problema e levar o agressor para a delegacia.

Vamos pensar em uma solução melhor?

Até mais!

5 comentários:

  1. Só de ler esse post seu, e o outro ai me deu dor de cabeça. Não tenho resposta para nenhuma de suas perguntas :( Mas vamos pensar! Argumento usado por esses trastes, incluindo crianças jogando bola no seu muro,soltando pipas com cerol que se tornam verdadeiras armas, pais e cia ltda. "A RUA É PÚBLICA"

    Resp: Não é. Art. 254 do Código de Trânsito Brasileiro - Lei 9503/97
    IV - utilizar-se da via em agrupamentos capazes de perturbar o trânsito, ou para a prática de qualquer folguedo, esporte, desfiles e similares, salvo em casos especiais e com a devida licença da autoridade competente. Fora que tu disse acima.

    Certas coisas funcionam como uma torneira pingando a noite. Dai vc pode ter a (sindrome do panico)

    O que penso Hj: tô nem ai se forem atropelados,torrados na rede eletrica,tiros, já vi algumas desgraças por conta de som de carrro. E pra essa turma .... #@%$&*&*(%$

    Quer entender? facil basta observar o comportamento dos pais dos mesmos, terá sua resposta.

    Não perca tempo em confrontar diretamente esses vermes. Desculpe pelo tamanho comentário. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não confronto por confrontar. Meu objetivo é realmente resolver a situação, já que não consigo fazer mais nada (nada mesmo!) enquanto o barulho me incomoda. Se aviso que está muito alto e tenho a sorte da pessoa abaixar o volume, consigo retomar minhas atividades.

      Excluir
    2. E o som automotivo que me incomoda geralmente não é na rua, mas dentro do quintal do vizinho. Me incomoda mais do que se fosse na rua.

      Excluir
  2. Quando vim moral onde estou a cinco anos meus vizinhos que ainda são os mesmo eram beeeeeem baderneiros, era som alto e moto empinando, um dia fui reclamar e só piorou, começaram as provocações, então, como a uns 15 anos atrás eu tocava bateria numa banda de rock eu resolvi comprar um bateria nova e 5 pratos dos mais estridentes que eu conheço, na estreia eu levantei 5 horas da manhã de domingo, abri a janela pro lado do vizinho e sentei o braço, toquei até as 9 horas, vieram reclamar e eu disse que agora ia piorar, no outro dia saí na porrada como o vizinho quando fui na padaria, machuquei bastante ele, eles pararam com o barulho e eu ainda toco, mas fecho as janelas e uso abafadores, por enquanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jackson, adorei sua história. Dolorosa, é verdade, mas infelizmente quando o barulho irrita muito e as autoridades nada fazem a respeito, a gente acaba tentando resolver do nosso jeito. Quem aguenta ruído que incomoda sem fazer nada já morreu e não está sabendo.

      Já fiz algo bastante parecido. Um dia, em alguma das casas onde morei, meus vizinhos fizeram muito barulho até tarde. No outro dia levantei às 5h da manhã (acho que nem tinha dormido direito por causa do barulho deles) e comecei a cantar loucamente em um volume bem alto. Eles não vieram reclamar, mas acho que eles entenderam que algumas pessoas são noturnas e querem dormir de manhã, outras são matutinas e querem dormir à noite (meu caso).

      E barulho é um negócio muito complexo porque o que incomoda algumas pessoas não incomoda tanto outras. Barulho de várias crianças brincando, por exemplo, é música para os meus ouvidos, mas se for uma criança só com voz estridente cantando ou brincando, eu já acho irritante.

      Até mais!

      Excluir

Posts relacionados