Busca

Carregando...

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Alimentador: ônibus gratuito da RMTC

Em grandes áreas residenciais de Goiânia existem linhas de ônibus que servem apenas para levar as pessoas ao ponto de ônibus mais próximo, essas são as linhas alimentadoras, ou seja, servem para "alimentar" as linhas regulares.

Aqui na região sudeste da capital existem várias linhas alimentadoras que já me beneficiaram bastante em diversas épocas e ocasiões. Algumas estão sempre lotadas e outras circulam vazias, por isso resolvi falar um pouco sobre elas.

Por que essas linhas existem?

Como eu citei acima, essas linhas servem para nos levar ao ponto de ônibus onde passam as linhas que têm tarifação normal e nos levam para Campinas, Centro, shoppings, terminais e outros destinos importantes da cidade.

Esse ponto final da linha alimentadora, onde o passageiro vai pegar a linha regular, se chama ponto de conexão.

O ideal, é claro, seria as linhas regulares atenderem a todos, mas nem sempre isso é possível. Em regiões muito extensas e residenciais, como a do Laranjeiras, a dos Jardins e a do Atheneu, as linhas regulares passam na avenida principal (onde estão hospitais, supermercados, grandes escolas), mas quem mora longe dessa avenida precisa andar dois, três ou até quatro quilômetros para chegar ao ponto de ônibus. É aí que entra a linha alimentadora.

Para você compreender melhor, no mapa abaixo está o trajeto da linha 198 - Jardim Vitória, uma das mais importantes da região Laranjeiras:

Observe que ela passa a poucas centenas de metros de dois lugares que poderiam ter uma demanda grande de passageiros: o Centro Cultural Oscar Niemeyer e a Unip. Mesmo assim a linha não chega a nenhum dos dois destinos. Por quê? Porque não é o objetivo dela. A linha alimentadora foi feita para levar as pessoas de suas casas para o ponto de ônibus e do ponto de ônibus para suas casas, nada mais.

Como passar na catraca?

Para passar na catraca do alimentador, basta inserir um sitpass usado. Muita gente cata o sitpass no chão do próprio ponto de ônibus. Já perdi a conta de quantas vezes passei com o mesmo bilhete, mas guardo mais de um sitpass usado para o caso do primeiro quebrar ou algo assim.

Caravela de sitpass: obra de Vivanni Nunes.

É claro que você também pode passar com algum cartão que dê gratuidade, como o cartão de idoso, o de deficiente e o cartão criança.

Se você passar com cartão tarifado (Fácil, Estudante, Integração), a viagem pode ser cobrada ou não, de acordo com as regras do Ganha Tempo (confira o post para saber mais).

Mas se você não tiver sitpass nem cartão e tiver que descer pela porta da frente, o motorista provavelmente não vai te impedir. Não é por falta de bilhete usado que você vai deixar de andar no alimentador.

Obra de Jaime Benatti feita com sitpass usados.

Outras formas de uso

Apesar de seu objetivo estar bem claro no nome, a linha alimentadora muitas vezes é usada como linha única para circular dentro do próprio bairro ou para visitar bairros vizinhos.

Por exemplo, se alguém que mora em uma das últimas ruas do Jardim Mariliza precisa ir ao Ginásio de Esportes do Parque Atheneu, pode pegar o alimentador ao invés de andar quase três quilômetros:

Na porta da minha casa passa uma linha alimentadora, geralmente a uso para ir ao Parque das Laranjeiras quando vou fazer compras, já que não é muito confortável andar três quilômetros a pé ou de bicicleta carregando muitas sacolas.

Mesmo sem ser essa a intenção do serviço, noto que as linhas alimentadoras acabam incentivando a gente a procurar mais produtos e serviços na própria região para não ter que pagar passagem para ir ao Centro, por exemplo.

Até mais!

Posts relacionados