Busca

Carregando...

domingo, 20 de outubro de 2013

Perfume me dá dor de cabeça

"Não uso perfume, me dá dor de cabeça." Durante muitos anos repeti essa frase e pra mim era um fato consumado que nunca ia mudar. Só com vinte anos de idade eu descobri que eu não tinha alergia a perfumes, mas sim a determinadas marcas, ou melhor, aos ingredientes usados por determinadas marcas.

Eu conhecia fragrâncias Avon (já revendia na época), algumas da marca O Boticário (por meio de colegas que usavam), algumas da Água de Cheiro (por meio de primas que usavam) e também colônias da Davene vendidas em supermercados. Apesar de me sentir atraída por perfumes desde criança, eu só podia experimentar e "sair correndo". Se usasse o perfume passava mal.

Cheguei a acreditar que eu tivesse alergia a ingredientes específicos, como baunilha ou rosas, mas não era isso. Como eu experimentei praticamente todas as fragrâncias da marca Avon - cítricas, florais, orientais - sabia que a questão era outra.

Com 20 anos passei a revender Natura e descobri que várias colônias da marca não me incomodovam, ao contrário: me faziam muito bem. Destaque para Laranjeira em Flor, Banho de Lavanda, Kaiak feminino e "Cedro e Jasmim".

Quando a fragrância Cedro e Jasmim foi descontinuada eu passei a me interessar de verdade por perfumaria. Experimentando loucamente todos os testers que eu encontrava nas prateleiras, descobri que várias marcas me faziam bem como Cacharel, L'Occitane, Chanel, Kenzo, Dior e algumas até mais acessíveis como Givenchy, Jennifer Lopez e Britney Spears.

Então descobri que na verdade eu tinha alergia à maioria dos perfumes baratos. Parece frescura, mas é pura química. Os perfumes ficam mais em conta justamente porque os ingredientes usados também são mais baratos: menos selecionados, mais fáceis de produzir, mais sintéticos e também com maior chance de causar alergia em alguém. É a mesma lógica de quem tem alergia a bijuterias, mas consegue usar ouro e prata sem problemas.

Por causa da minha experiência, sempre que alguém me conta que tem alergia a perfumes, respondo que provavelmente não conheceu a marca certa ainda.

Quando a gente tem esse tipo de rinite ou dermatite tende a acreditar que basta escolher fragrâncias mais suaves, mas geralmente isso é não é verdade. Eu, por exemplo, não tenho alergia a Poison (Dior), que é uma bomba de cheiro, mas passo mal com Infinite Moment (Avon), que é uma delícia de delicadeza. Tentei usá-lo durante alguns dias pensando que eu ia me acostumar com ele até não ter dor de cabeça mais, mas me enganei: o enjoo só aumentava a cada dia.

Se você tem alergia a perfumes e não sente nenhuma vontade de usá-los, continue assim. Você está poupando um bom dinheiro.

Mas se você acha que por isso está perdendo alguma coisa que está acontecendo "lá fora", no mundo dos não-alérgicos, talvez seja a hora de experimentar perfumes de marcas com alto padrão de qualidade, como algumas que citei acima.

Não há fórmula mágica! Tem que experimentar mesmo. Alergia é algo muito pessoal. Conheço gente que, ao contrário de mim, passa mal usando fragrância da Natura e é feliz usando as da Avon. Tem gente que passa mal usando perfume importado, mas se dá super bem com os nacionais. Ema, ema, emas, cada um com seus problemas.

Se for alérgico a álcool, por exemplo, pode usar cremes, desodorantes sem álcool e óleos perfumados, além das fragrâncias infantis.

Só desejo que você não se prive do prazer que a perfumaria proporciona porque acredita ser alérgico a tudo. Deve ter algum produto feito pra você.

Leia também:

Bom cheiro!

Posts relacionados