Busca

Carregando...

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Sobre os perfumes Eudora

Atualizado dia 04/04/2015.

As pessoas geralmente ficam entusiasmadas quando conhecem os perfumes da Eudora e eu não fiquei diferente. Só que me decepcionei com as fragrâncias que eu estava louca para experimentar e me surpreendi com aquelas das quais eu nunca tinha ouvido falar antes. Vou tentar explicar melhor.

Para começar, a linha Brisas de Eudora foi uma decepção total. Pensei que os brasileiros, que adoram águas de colônia, teriam mais uma coleção agradável de fragrâncias para escolher. Ficou só no pensamento. Os perfumes têm cheiro "inacabado", parece que não concluiram o desenvolvimento das fragrâncias a tempo e lançaram do jeito que estava. Sobram alguns ingredientes, faltam outros, não há harmonia. E juro que não é papo de perfumólatra, qualquer um nota que as fragrâncias estão fora do ponto.

A única colônia da linha que considerei usável foi Malícia de Laranjeira, mas tem que gostar muito do cheiro in natura de uma laranjeira para suportar a abertura. Para meu olfato, Provocações de Gengibre ficou quase usável, mas acho que mesmo assim muita gente pode gostar dela. E é isso: em uma coleção com seis fragrâncias, só tenho coragem de recomendar duas. As demais sequer merecem comentários no momento. Se você gosta colônias refrescantes nacionais, continue usando Avon e Natura.

Eudora EDP é um chypre amadeirado todo "badaladinho" em blogs e revistas, mas quando eu experimentei pela primeira vez fiquei sem entender. É sério que as pessoas derramaram todos aqueles elogios por isso? Calma! Não estou dizendo que o perfume é ruim. Aliás, tirando a linha Brisas, nenhuma fragrância da Eudora merece o adjetivo "ruim". Mas é que outros perfumes da marca são bem melhores.

O EDP homônimo da Eudora não é esse Ovomaltine todo. A abertura é interessante e quase original, mas depois de um minuto se mostra um perfume bem bobinho que não se parece com nada e ao mesmo tempo pode ser o cheiro de qualquer coisa. E a fixação na minha pele foi bem vergonhosa para um EDP: menos de duas horas. Tudo bem que tá um calor veranil aqui em Goiânia, mas podia ser melhor.

Em Althea só senti madeira branca e ultimamente estou com trauma disso por causa de dois perfumes da Jequiti. Se o trauma passar, outro dia falo mais de Althea.

A.R.T. é o frutal delicinha da marca (a Eudora chama de floral oriental, mas minha opinião é diferente). Tem potencial para agradar quem gosta de Luiza Brunet Radiance (Avon), Delícias de Um Encontro Apaixonante (O Boticário), Club São Paulo (Jequiti), Amor Amor (Cacharel) e dos perfumes da marca Nina Ricci.

Aflorá é um floral frutal bem gostoso feito para agradar mulheres das mais variadas idades e personalidades. Não inova, mas também não decepciona ninguém.

Aurien é um chypre frutal poderoso que lembra bastante as fragrâncias femininas Diesel Fuel for Life, mas não consigo dizer agora se parece mais o original ou algum flanker.

O gourmand Violette é uma bonita homenagem ao querido Ange ou Démon (Givenchy). Amei demais essa referência! Apesar de também ser colônia, a fixação dessa fragrância ficou melhor que a média da marca.

Soul é um frutal cítrico tentador que combina com uma mulher independente e descolada. Apesar da abertura bastante original (dentro de tudo que conheço), do meio em diante lembra Animagical (Puma). Soul é mais doce.

A linha S. é um show à parte. Esses perfumes fazem parte do Momento Entre Quatro Paredes, mas na minha opinião esse foi só um pretexto que a Eudora arranjou para lançar no Brasil fragrâncias sofisticadas e exóticas (mas não originais) que podem ser usadas em qualquer ambiente que mereça um perfume assim. Amei S. Privée e S. Excès. Já fiz um post sobre Prélude S. e S. EDT lembra muito Angel (Thierry Mugler), mas dizem que é mais parecido ainda com Eau de Star (Thierry Mugler).

Achei a perfumaria da Eudora muito melhor que a de O Boticário, apesar de ter notado a mesma identidade olfativa. Na nova marca melhoraram bastante o corpo e a base das fragrâncias, mas ainda capricham bem mais na abertura. Outras características que as duas marcas têm em comum:

  • fixação geralmente menor do que a esperada, inclusive quando é eau de parfum;
  • o álcool usado tem um cheiro muito forte e característico, o que deixa as fragrâncias enjoativas e mais parecidas entre si do que o desejável.

Sobre os perfumes masculinos não vou gastar muito verbo: todos são imitações de outras marcas, inclusive Natura nacionais. Se tiver a oportunidade de experimentar, experimente, mas não crie a expectativa de encontrar algo diferente.

Recomendo Eudora para quem:

  • Gosta dos perfumes O Boticário.
  • Gosta de Avon e Chris Adams.
  • Conhece pouca coisa da perfumaria internacional. Se a pessoa não percebe as referências da Eudora, pode achar tudo inédito, original e talvez até maravilhoso.
  • Quer usar a versão desodorante, loção, óleo ou hair mist (perfume de cabelo) de alguma fragrância da Eudora porque usa o perfume original e quer combinar os cheiros. Por exemplo: você usa o perfume Ange ou Démon (Givenchy), então compra o desodorante Violette (Eudora).

Provavelmente não vai se satisfazer com os perfumes Eudora quem:

  • Odeia O Boticário do fundo do útero (estamos aí!).
  • Odeia todas as marcas nacionais que experimentou (mesmo que não conheça O Boticário).
  • Conhece muita coisa na perfumaria internacional, já que tudo na marca é uma versão alcoolizada e sem fixação de outra fragrância bem melhor (e mais cara).

Apesar de ainda não ter encontrado um perfume Eudora que eu queira chamar de meu, achei várias fragrâncias agradáveis e interessantes: ótimas para vender, recomendar, comparar, resenhar. Olfatos exigentes à parte, sem dúvida a Eudora é uma ótima alternativa para muitas brasileiras que buscam um novo cheirinho, seja para uso diário ou para ocasiões especiais.

Leia também:

Bom cheiro!

Posts relacionados