Busca

Carregando...

quinta-feira, 27 de março de 2014

Perfumes O Boticário: uma segunda chance

Não escondo de ninguém que O Boticário é a marca brasileira de perfume da qual menos gosto. Mas atendendo a pedidos de clientes, me cadastrei como revendedora da marca. Como comprei o kit de amostras, agora estou tentando conhecer melhor as fragrâncias e entender para quem são direcionadas, mesmo sabendo que não são pra mim.

Floratta in Rose é um floral incisivo que pode agradar quem gosta de Rosas Vermelhas (Natura).

Floratta in Gold é uma das fragrâncias mais exóticas que já senti na vida, um melado cítrico para quem quer "chegar chegando". Dulcíssimo e original, deve ser um dos mais vendidos da marca.

Floratta Emotion é aquele floral frutal que nasceu para agradar deus e o mundo. Tem cheiro de xampu e me lembra muito o Big Pony 4 da Ralph Lauren.

Floratta in Blue é angelical, etéreo ou qualquer coisa assim.

Na linha Acqua sinto águas de banho muito dignas. Mas com a baixa fixação, só servem para usar entre o último banho e a hora de dormir mesmo. Como esse é o horário em que me besunto de hidratante perfumado, não tenho o hábito de usar colônia antes de dormir.

Anni é um floral frutal muito suave que eu queria ter conhecido em 2010. Hoje em dia não tem mais a ver com minha personalidade, meu ritmo. "Anni, não suma! Talvez um dia a gente se encontre."

Thaty é o perfume que me faz lembrar da 5ª série.

Thaty Princess é muito suave, atemporal e agradável, mas nem por isso acho que ele merece existir.

Myriad é amor!

Linda na verdade é feia e nem é arrumadinha. Tanta coisa me incomoda nesse perfume que nem consigo listar.

Gostei muito de Egeo quando senti e enjoei 5 minutos depois. A ideia é boa, mas é muito linear. Tinha que evoluir melhor para não ficar maçante.

Em Egeo Dolce eu sinto cheiro de chocolate amargo, apesar de não ter cacau nem chocolate na pirâmide olfativa divulgada.

Glamour é o perfume que me lembra o último ano do ensino médio. Assim que foi lançado, várias primas, colegas e amigas passaram a usar essa fragrância, mas eu só descobri isso agora porque senti-la me fez ter lembranças muito específicas do ano de lançamento: 2001.

Glamour Secrets Black é o perfume brasileiro que fez melhor uso do praliné (chupa, Natura Una!). Não faz o meu tipo, mas é uma colônia que merece respeito.

Coffee Woman, que me dá dor de cabeça já no primeiro segundo, me lembra muito Zara Woman Black, mas a versão O Boticário é mais cremosa.

Shophie Teens é um perfume que mereceria ter versão adulta, mais encorpada e menos volátil.

Em Accordes eu sinto cheiro de bexiga perfumada. Em Accordes Harmonia eu sinto cheiro de talco com cheiro de bexiga perfumada.

Capricho é um perfume tão bom que não parece ser O Boticário, não merece ser estereotipado como perfume teen e deveria ter um nome melhor.

Capricho Day tem cheiro de bronzeador ou de protetor solar barato.

Capricho Night é um dos melhores perfumes da marca, mas não é teen, não é noturno e deveria ser vendido separadamente. Levar Capricho Day junto é castigo.

Capricho Glam é sofisticado, agradável, feminino, cremoso, gostoso, elegante. Esquece o seu preconceito contra a linha e vai lá experimentar.

Ma Chérie e Ma Chérie Jeans são o que são e nada do que eu disser vai mudar isso.

Acqua Fresca é um perfume que está no mercado há tantas décadas que quando eu sinto me lembro de muitas pessoas do passado. Várias delas já morreram.

Sobre os perfumes masculinos não consigo falar porque só entendo esse tipo de fragrância quando exalada por um homem, sinto muito.

Quanto aos femininos, O Boticário continua sendo minha marca preterida. Quando eu quiser comprar uma fragrância nacional vou tentar primeiro Jequiti, Natura, Eudora, Mahogany, Ana Hickmann, Água de Cheiro, L'acqua di Fiori, Yes Cosmetics, Racco, Jafra, Amazônia Viva, Odorata, Phebo e por aí vai.

Mesmo assim vou tentar resenhá-los com base nas amostras que tenho. Sobre qual você quer ler primeiro?

Bom cheiro!

Posts relacionados