Busca

Carregando...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Quais as soluções para a falta de água?

A crise hídrica não é novidade para muitos países que implantam projetos para este problema

Vivemos atualmente uma grande crise de água em São Paulo, aliás a maior de todos os tempos. A crise decorre além do crescimento da população, sobretudo do desperdício e uso sem consciência do principal recurso natural para sobrevivência humana. Existem soluções enfrentadas por alguns países que já vivem está crise há alguns anos. Estas alternativas seriam a solução para São Paulo? Vamos conhecer a forma que estes países encaram o racionamento e a escassez de água.

Pequim-China

Pequim está entre os 13 países que mais sofrem pela falta de água, de acordo com a ONU. O país tem apenas 6% de água potável existente em todo o planeta. Pequim também é uma das cidades mais populosas do mundo e com grande crescimento industrial e poluição, fatores que podem ser responsáveis por está maior escassez.

Para enfrentar o racionamento a companhia de água de Pequim está investindo em um projeto milionário para redirecionar rios, uma das primeiras etapas serão realizadas neste ano. Seria um investimento de mais de 60 milhões de reais.

Esta mesma ideia também teve recentemente o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sugerindo a ligação do Sistema Cantareira com o rio Parnaíba do Sul, principal fonte de abastecimento do Rio de Janeiro. O custo seria aproximado de 500 milhões.

Esta seria uma alternativa, mas antes de pensarmos em engenhos e gastos industriais, não seria uma sugestão também incentivar o uso consciente e alertar para a economia da água e degradação do meio ambiente e das fontes naturais? Seria uma questão a ser pensada, pois a solução pode estar no consumo consciente e valorização destes recursos.

Austrália

A Austrália também sofre pela escassez de água e para suprir esta necessidade construiu estações para remover o sal de água coletadas do oceano índico para o uso potável. Atualmente, a cidade de Perth tem mais da metade da água retirada do oceano.

Esta alternativa tem preços a serem questionados e ambientalistas criticam o método que demanda muita energia e chega a dobrar o valor das contas de água. Em São Paulo ainda não foi comentada está opção, embora já exista rumores e possíveis projetos que visam a reutilização da água através da construção de uma Estação de Produção de Água de Reuso na zona Sul de São Paulo.

Nova York

A maior cidade do mundo também se depara com a insuficiência dos recursos de água. No caso de Nova York foi pensando diferente e de maneira mais sustentável. Ao invés de investir em engenhos milionários e consumidores de energia, o governo implementou um projeto para proteger nascentes de águas e preservar a vegetação. O governo ofereceu assistência financeira aos moradores destas regiões em troca de cuidados com o meio ambiente.

O programa realizado pela cidade de Nova York também implantou projetos de conscientização do consumo. Esta opção seria ideal para São Paulo, uma cidade rica em vegetação e recursos naturais que estão sendo ignorados pelo governo e paulistas.

Fonte: www.onlinefarma.com.br


Este post foi escrito pelo nosso anunciante: Online Farma.

Posts relacionados