Busca

Carregando...

quarta-feira, 6 de maio de 2015

4 dicas para usar sites de resenhas sem virar consumista

A princípio, a função social dos blogs e vlogs de resenhas é dar ao consumidor a oportunidade de conhecer opiniões sobre um produto antes de comprá-lo, evitando frustrações e aquisições desnecessárias.

Só que muitos produtores de conteúdo mudam esse papel porque acreditam que é necessário incentivar o consumo exagerado para vender mais anúncios ou receber maior comissão. Outras vezes, são os próprios leitores que não sabem o modo correto de usar esse tipo de site.

Para evitar ser excessivamente influenciado por esse tipo de conteúdo, tenho 4 dicas:

1. Não visite sites de resenhas diariamente

Quando quiser saber sobre um produto específico, use a busca!

Ler resenha de produto todo dia é tão maléfico para a saúde mental e financeira quanto assistir canais de TV com comerciais: sem você perceber, as citações a marcas e produtos vão fazendo uma lavagem cerebral. Até que um dia você se pega com a casa cheia de produtos que não vai usar tão cedo, mas comprou porque algum ator, blogueiro ou vlogueiro falou bem dele. Pode até ser que o produto seja bom mesmo, mas você estava precisando dele?

Isso acontecia comigo. Eu já fui seguidora de vários sites com resenhas de produtos de beleza, sendo que bases faciais, produtos antiacne e cremes para cachos sempre chamaram muito a minha atenção. Toda vez que eu lia elogio a uma marca nova, eu ficava louquíssima para experimentar também. Como eu não tinha dinheiro para comprar tudo, ao invés de acumular os produtos, eu acumulava ansiedade e listas de desejos.

Até que em um momento eu "acordei" e percebi o quanto esse excesso de informação é desnecessário. A não ser para quem é profissional da área, não faz o menor sentido acompanhar novidades em produtos de beleza se elas surgem em uma velocidade muito superior à nossa capacidade de usar esses mesmos produtos.

Hoje estou muito menos ansiosa para conhecer produtos novos e assim consigo usar até o fim o que já tenho. Mas sei que isso só foi possível porque parei de seguir a maioria dos sites especializados em resenhas de beleza. Os poucos que ainda sigo estão "escondidos" entre meus milhares de canais do YouTube e em uma pasta multitemática do Inoreader que raramente visito, uso apenas quando preciso fazer buscas.

Agora, ao invés de passar a desejar produtos só porque li a resenha, eu leio resenha só quando preciso de um novo produto. Quando minha atual base facial estiver perto de acabar, por exemplo, vou ao Google e ao Inoreader procurar resenhas de marcas próprias para pele oleosa e acneica. Se encontrar algum produto bem recomendado e com preço acessível, posso até trocar de marca. Se não encontrar, compro novamente a mesma marca que já usei e aprovei, sem ansiedade nem desespero por novidades.

Para quem usa o Facebook, a dica é curtir a página do blog e, logo em seguida, parar de seguir. Assim você não vê as atualizações na timeline, mas ao mesmo tempo tem a página sempre por perto para quando realmente precisar dela.

2. Você não precisa ter tantos produtos quanto um blogueiro tem

O blogueiro é uma cobaia que experimenta todos para você escolher um

Seja amador ou profissional, se alguém produz resenhas é porque se propôs a ser um "testador" que experimenta o máximo de itens que pode justamente para você não precisar fazer o mesmo.

Se uma mesma blogueira já publicou em seu blog resenhas sobre 10 marcas de sabonete facial, por exemplo, você não precisa experimentar novamente as 10 marcas. O que você precisa é acessar as informações para escolher 1 marca, apenas uma, a que for melhor pra você, compatível com seu tipo de pele e sua realidade financeira.

É importante lembrar também que muitos blogueiros têm parcerias com empresas e ganham produtos para resenhar, enquanto você tem que pagar tudo do seu próprio bolso. E mesmo quando o blogueiro compra o produto para fazer resenha, ele sabe que é um investimento e não um gasto, já que resenhas atraem muitos visitantes que, consequentemente, aumentam a receita do blog.

O blogueiro tem ainda a possibilidade de sortear produtos que já foram resenhados e assim atrair ainda mais visitantes e receita, é mais ou menos o que acontece com os perfumes que sorteio aqui no blog.

3. Sempre leia mais de uma opinião antes de comprar um produto

Quanto mais opiniões diferentes você conhece, mais perto chegará da verdade

Tente encontrar opiniões de pessoas que gostaram do produto e de pessoas que não gostaram, assim você já conhece com antecedência todas as possibilidades e evita pagar caro por um produto que pode decepcionar.

E além de procurar mais de uma opinião, é importante tentar encontrar pessoas com necessidades parecidas com as suas. No dia em que você for comprar um novo climatizador de ar, por exemplo, não adianta assistir resenhas de Belém se estiver morando em Porto Alegre.

4. Lembre-se que muitos blogueiros ganham comissão por vendas

E não existe resenha 100% objetiva ou imparcial, apesar de algumas terem essa aparência

A maioria dos blogs e vlogs monetizados ganham mais dinheiro com cliques e visualizações de anúncios. Esses geralmente não têm medo de polêmicas e opiniões negativas porque sabem que isso atrai muitos visitantes.

Mas quando a pessoa já é muito influente em um determinado nicho, ela também ganha uma boa grana em comissões de vendas realizadas por meio do site. É por por isso que determinados blogs e vlogs assumem um tom mais otimista e persuasivo nas resenhas: "tem que ter", "tem que comprar", "você não pode viver sem", "produto essencial", "não pode faltar", etc.

E existem ainda blogueiros inseguros que têm medo de falar explicitamente os defeitos dos produtos porque acham que podem afastar as empresas que anunciam ou que mandam produtos para testes.

É por isso que você tem que assumir sempre uma postura crítica ao ler ou assistir uma resenha:

  • Pode ser que a pessoa realmente tenha se apaixonado por aquele produto? Pode.
  • Pode ser que ela só queira persuadir você a comprar para aumentar a comissão? Pode.
  • Pode ser que ela tenha encontrado vários defeitos no produto, mas não queira falar para continuar ganhando brindes da empresa? Pode.
  • Pode ser que ela tenha exagerado os defeitos do produto para gerar polêmica e atrair visitantes? Pode.

Sei que soa complexo, mas depois que você seguir a três primeiras dicas, vai perceber que é mais simples do que parece.

Até mais!

Posts relacionados