Busca

Carregando...

terça-feira, 16 de junho de 2015

10 perfumes femininos descontinuados da Jequiti

Como alguns leitores já sabem, foi exatamente um perfume descontinuado que despertou meu interesse por perfumaria, já que foi assim que comecei a andar que nem uma louca pelas lojas cheirando tudo que via pela frente. Mas, de uns tempos pra cá, fiquei menos saudosista e evito tocar no assunto. Avante.

Só que não dá para evitar esse tema o tempo todo. De vez em quando a gente precisa olhar para trás e colocar o dedo na ferida, nem que seja para trocar o curativo. Assim a gente se lembra que a vida nem sempre é um perfumado mar de rosas, por isso precisamos dar valor às boas fragrâncias nacionais que temos disponíveis no mercado.

Mas chega de filosofia barata, vamos logo às colônias femininas Jequiti que já comentei aqui no blog e foram descontinuadas algum tempo depois:

Elixir

Quando me apaixonei pela Jequiti, uma das colônias que mais admirei foi Elixir: noturna, elegante, distinta e com uma textura inédita no mercado nacional. Mas acho que a Priscila, que deixou comentário, e eu fomos as únicas a notar isso porque esse perfume foi descontinuado alguns meses depois do artigo. Eu só notei quando decidi comprar e não encontrei.

Diva Ébano e Diva Rouge

Falei sobre os dois no meu post sobre a linha Jequiti Diva e estranhei bastante quando soube do fim. Diva Ébano era muito bom e eu considerava um dos melhores da marca. Quem gostava dele vai ter que se consolar em outras marcas. A dica é experimentar Althea da Eudora e Angico Branco da Mahogany. Já Diva Rouge eu considerava dispensável mesmo, mas pensei que ele fosse fazer sucesso entre os fãs de Carolina Herrera.

Diva Pink

Falei um pouco sobre ele no artigo Use os perfumes Diva combinados. Pink ainda é vendido, mas não é mais fabricado e em breve vai sumir da revista. Ele é muito teen e acredito que não combina muito com o conceito Diva. Se aproveitarem a ideia para a linha Bem-me-quer, mesmo com concentração menor, vai bombar.

Só Você e Só Você Momentos

As duas fragrâncias femininas da linha Fábio Jr. não são mais fabricadas e serão descontinuadas nos próximos ciclos. Como já contei no outro post, essas colônias estavam entre as poucas opções da marca para mulheres que não são fãs de baunilha, mas nem por isso acho que elas vão fazer grande falta ao portfólio brasileiro.

Bem-me-quer com Doçura

Ainda este ano fiz resenha sobre essa colônia cítrica com cheiro de "tô limpa". Na época, destaquei que era uma fragrância muito compartilhável que poderia facilmente ser adotada por homens e pessoas adultas. Para você ver como funcionam as coisas: não adianta uma fragrância ser curinga e ter público amplo se está "escondida" em um frasco para meninas pré-adolescentes.

Chiquititas

Essa descontinuação nem foi surpresa porque eu cantei a pedra no dia em que escrevi a resenha. Com cheirinho bem clichê, ela foi substituída por Chiquititas Diversão, que ainda não tive a oportunidade de sentir direito.

Club Salvador e Club Rio de Janeiro

Voltada para mulheres jovens, a linha Club tem uma vibe interessante, mas confesso que tive dificuldade para entender as propostas de Salvador e Rio de Janeiro, tanto que nem cheguei a escrever as resenhas. Eu considerava as duas colônias dispensáveis, não por serem ruins, mas por existirem outras no mercado que cumpriram melhor o mesmo papel, como as da linha Soul Eudora.

Entre mortos e feridos, fico feliz por Club São Paulo ter resistido. Apesar de não ser o estilo de perfume que me agrada ultimamente, reconheço a beleza dele e acredito que é uma ótima opção para quem aprecia fragrâncias com morango cremoso.

Para evitar a necrofilia perfumística com estímulo visual, não coloquei as fotos das fragrâncias defuntas.

Quer continuar a catarse lendo sobre esse assunto depressivo? Confira:

Bom cheiro!

Posts relacionados