Busca

Carregando...

terça-feira, 21 de julho de 2015

7 formas de evitar os estímulos às compras

Aqui vou contar alguns hábitos que me afastaram bastante dos principais estímulos externos ao consumo. Garanto que este artigo pode ser útil a todas as pessoas, não é preciso ser consumista, falido nem minimalista para colocar em prática algumas dessas dicas. Elas vão ajudar você a desejar menos coisas e futuramente ter mais dinheiro e energia para investir no que realmente interessa.

1. Instale extensões gratuitas para ver menos propaganda na internet

Para bloquear anúncios como os do Facebook do Google AdSense, já recomendei um plugin no artigo AdBlock: bloqueador de propagandas da web. Essa extensão elimina grande parte das propagandas dos sites, inclusive as que te enchem o saco aqui no Meu Tédio. AdBlock é o tipo de complemento "tem que ter". Se você usa uma vez, nunca mais vai suportar navegar sem ele.

O BlockSite, para Google Chrome e Firefox, bloqueia domínios específicos. Se você quer largar o vício de navegar em sites como Ebay e AliExpress, você pode bloqueá-los usando esse aplicativo. Sempre que você for traído pelo hábito e tentar entrar novamente, será redirecionado para um aviso.

Outra extensão que indico é a Personal Blocklist, para Google Chrome. Ela serve para bloquear sites específicos nos resultados de busca do Google. Se você bloqueia o site www.ebay.com por exemplo, ao pesquisar óculos de sol os anúncios do ebay não aparecerão nos resultados da busca.

2. Não se cadastre em newsletters de lojas e similares

Mas se você já se cadastrou, o Unroll.me ajuda a eliminar do seu e-mail várias newsletters ao mesmo tempo (no meu caso foram centenas). Fiz um tutorial completo sobre ele no post Use Unroll.me e receba menos porcaria no webmail.

3. Aprenda a usar sites de resenhas

No artigo 4 dicas para usar sites de resenhas sem virar consumista, falei bastante sobre esse assunto, mas aqui vou lembrar o primeiro e mais importante conselho: não visite sites de resenhas diariamente! Apenas quando precisar fazer consultas e buscas por produtos específicos.

4. Não tenha cartões de lojas

O que leva uma pessoa a pagar R$ 40 por uma blusa que custa R$ 10 no comércio popular? O que leva alguém a levar dez peças de roupas depois de entrar só para comprar um par de meias? O cartão da loja! Carrefour, C&A, Lojas Americanas, Marisa, Renner são algumas das empresas que adoram praticar esse velho truque no qual muita gente cai de quatro e mostrando a língua. Pratique o amor próprio e o respeito a seu suado dinheiro destruindo todos os seus cartões de lojas. Compre à vista e, quando realmente precisar parcelar ou postergar o pagamento, use o seu cartão de crédito "normal".

5. Não tenha cheque especial. Isso é #armadilhadesatanas!

Muita gente acha que o cheque-especial é automático ou obrigatório para todos que têm conta-corrente, mas vou te contar uma verdade secreta que o gerente do seu banco nunca vai revelar: é possível, simples e necessário cancelar o cheque-especial de forma que ele não volte automaticamente.

E não é nenhum favor que o banco vai fazer pra você, é um direito não ter essa cilada tentando te enganar em seu extrato bancário. Pode pedir o cancelamento sem medo, sem enrolação e sem dar satisfação alguma para o gerente do banco. Quero cancelar e pronto!

6. Aprenda a usar o cartão de crédito e não tenha cartão de crédito antes de aprender a usar

O cartão de crédito pode ser uma coisa boa, mas quando a gente sabe usar. Ele serve para parcelar uma geladeira quando a nossa estraga da noite para o dia (de forma que não temos tempo de economizar para comprar uma nova), serve para comprar remédios quando alguém da família adoece no "dia errado" do mês, serve para comprar passagens aéreas (já que a maioria dos sites das companhias não têm outra opção).

Não se deixe iludir por pontos, milhas e outros métodos que as operadoras usam para seduzir e fazer você colocar compras desnecessárias no cartão. A dica é sempre pensar que o limite do cartão de crédito deve ficar disponível para alguma urgência ou emergência, nunca use para comprar algo que você poderia tranquilamente esperar para comprar mês que vem, à vista.

Recomendo esse vídeo divertido da Nathalia Arcuri com 3 razões para destruir o cartão de crédito:

7. Evite shoppings e centros comerciais

Para quem tem o hábito de frequentar shopping como se fosse um "inocente" espaço de alimentação e lazer, sem dúvida essa é a dica mais difícil de colocar em prática, mas também é a que produz mais resultados. Sempre que vamos ao shopping, somos bombardeados por milhares de estímulos visuais, sonoros, olfativos e táteis produzidos especialmente para nos levar a comprar. Quando deixamos de frequentá-lo, deixamos até de lembrar que existem vários produtos e marcas que estavam entre nossos "sonhos de consumo".

Considerações finais

Muitos de nós temos a ilusão de que não podemos viver sem comprar, que é inevitável todo dia gastar dinheiro com alguma coisa, que é normal desejar novos produtos diariamente. Mas quando a gente consegue afastar os principais estímulos ao consumo, percebe que não tinha nada de normal no comportamento anterior: éramos apenas idiotas seguindo a manada, escravos da publicidade.

Se você quer continuar esse processo de conscientização e mudança de hábito, leia também:

Até mais!

Posts relacionados