Busca

Carregando...

domingo, 24 de janeiro de 2016

Um projeto para 2016: evoluir no francês | parte 1

Quando comprei o tablet, comecei a estudar italiano e francês ao mesmo tempo, mas por serem dois idiomas latinos com muitas palavras parecidas na ortografia, comecei a confundir tudo, então percebi que teria que escolher um. Não desisti de dominar o italiano, mas no momento optei pelo francês.

E foi uma boa escolha porque ano passado também surgiu a oportunidade de ensinar português para os haitianos, o que me deu uma utilidade real e imediata para aprender a língua francesa. Apesar de, entre eles, conversarem muito mais em crioulo haitiano, o francês é o idioma acadêmico oficial que todos eles passam a falar quando entram na escola. Grande parte dos haitianos escolarizados também fala inglês e espanhol, mas francês é o idioma que eles dominam.

Comecei a estudar no Mosalíngua e já terminei as lições gratuitas, que foram suficientes para:

Ou seja, se eu vejo uma palavra, uma frase ou até mesmo um texto inteiro em francês, já tenho coragem de ler em voz alta, mesmo sem entender todas as palavras e consciente de que vou errar algumas pronúncias. Antes de começar a usar o aplicativo, eu não me arriscaria.

Ainda não sei se vou comprar a versão plus do Mosalíngua porque o método me cansou e até desinstalei o aplicativo. Talvez daqui a alguns meses eu volte. Por enquanto, estou testando outros sites e programas, mas não vou me ater a eles. Estou procurando e aceitando dicas de:

  • e-books gratuitos em francês, de preferência em formato epub ou disponíveis na Google Play;
  • e-books gratuitos ensinando francês, a partir do português ou do inglês;
  • vlogs em francês;
  • blogs e sites em francês;
  • séries e filmes franceses (adoro cinema francês, mas série eu nunca assisti);
  • reality shows e outros programas de TV da França que estejam no YouTube;

Para livros e sites, os assuntos de minha preferência são os mesmos tratados aqui no blog: perfumes, HTML, android, ubuntu, minimalismo, organização, cinema, séries de TV, consumo, dinheiro, etc.

Até mais!

Foto: iStock

Posts relacionados