Busca

Carregando...

quarta-feira, 23 de março de 2016

Não compre tablet da Multilaser - parte 4

No último capítulo da novela, eu estava usando o terceiro tablet, recém-chegado e que por isso ainda funcionava bem. Mas já faz quase um ano e meio, então muita coisa aconteceu. Chegou a hora de contar a quarta parte da história.

Este texto será melhor compreendido se você ler as primeiras partes. Clique com o botão do meio se quiser abrir em outra aba:

Depois de algumas semanas de uso, o terceiro tablet ficou tão ruim quanto o primeiro [parte 1] e praticamente só funcionava conectado à tomada.

Por isso, eu só usava o tablet se o smartphone e o computador não estivessem disponíveis. Evitava ao máximo a canseira.

Em janeiro/2016, quando comprei o Chromecast, tentei manter o tablet na função exclusiva de transmitir os conteúdos dos aplicativos para a televisão. Funcionava, mas travava bastante. Os vídeos do Netflix, por exemplo, tinham várias interrupções.

Já cansada de tanta agonia, decidi investir em um Samsung Galaxy Tab, parcelado em suaves prestações.

Quando testei o Galaxy Tab, percebi logo que é um produto de altíssima qualidade. Já faz um mês que estou usando e ele funciona tão bem quanto no primeiro dia. O que leva algumas pessoas a gastarem milhares de reais com iPad?

Em relação ao Multilaser, não faz sentido comparar. Nem preço nem qualidade. Mas um dos primeiros benefícios foi aproveitar muito melhor o Chromecast. Agora os vídeos do Netflix, por exemplo, rodam perfeitamente e sem travamentos.

Assim que configurei o novo tablet com todos os meus aplicativos de vídeo, áudio e estudos, guardei o Multilaser e fiquei com a dúvida: o que fazer com isso agora?

Pensei em vender, mas não tinha coragem de vender aquilo. Pensei em doar, mas eu também não tinha coragem de "presentear" alguém com aquilo. Pensei em deixar com a minha mãe para ela ver fotos, mas ela não tem muita paciência nem com tecnologia que funciona.

Desabafei no SnapChato (meutedio) sobre o problema. Apareceu uma alma boa me pedindo a bagaça.

Coloquei tudo na caixa: tablet, manual, acessórios que vieram com ele, um dos cabos HDMI que comprei para ele. Levei para o trabalho e a corajosa Ana Luiza foi lá buscar.

Para ninguém dizer que sou ingrata, dei a caixa dentro de uma bolsa preta em ótimo estado de conservação e também coloquei dentro o perfume Merci da Jequiti, tudo como prêmio por ela ter me livrado do problemático tablet.

E lembre-se, crianças: não comprem tablet da Multilaser.

Até mais!

Posts relacionados