Busca

Carregando...

quinta-feira, 9 de junho de 2016

✔️ 11 dicas para que as pessoas entendam e respondam suas mensagens de texto

Quer ser acima da média no mercado de trabalho? Na política? Na vida amorosa? Na vizinhança? Na carreira artística? Aprenda a se comunicar com eficiência. Parece um conselho besta porque todo mundo tem a ilusão de que sabe conversar, mas a verdade é que apenas 8% dos brasileiros sabem se expressar e compreender plenamente. Ou seja, se você consegue dizer e ser compreendido, se você consegue compreender o que o outro diz, você é um baita privilegiado e nem percebe.

E com o uso massivo de ferramentas como WhatsApp, Telegram e Facebook Messenger, a dificuldade que a maioria tem para se expressar fica ainda mais evidente porque em uma mensagem de texto não temos recursos adicionais como tom de voz, gestos e expressões faciais.

Neste post quero lembrar algumas noções básicas de comunicação escrita que tornam sua mensagem mais clara, objetiva e simples. Isso ajuda a economizar tempo, paciência, intelecto e consequentemente evita as desastradas consequências do analfabetismo generalizado, seja você pertencente aos 8% - mas que precisa ser compreendido pelos outros 92% - ou alguém que tem dificuldade para se expressar e reconhece isso.

Minhas dicas são:

  1. Desative o corretor automático do celular e do tablet.
  2. Vá direto ao assunto e não espere resposta aos cumprimentos.
  3. Diga exatamente o que quer. Não deixe subentendido.
  4. É pergunta? Use interrogação.
  5. Pessoa, sempre use vírgula para isolar vocativo.
  6. Use vírgulas corretamente e evite frases que precisam delas.
  7. Evite eufemismos.
  8. Evite gíria, ironia, hipérbole e outras figuras de linguagem.
  9. Use maiúsculas corretamente.
  10. Esqueça as siglas e abreviaturas de preguiçoso.
  11. Sempre revise o texto.
  12. Conclusão

1. Desative o corretor automático do celular e do tablet

O corretor automático muito mais atrapalha do que ajuda. O ideal é deixar ativa apenas a sugestão ortográfica, em que o teclado mostra alternativas para completar a palavra, deixando com você - um ser-humano pensante que sabe o que quer dizer - a decisão de usar a sugestão ou não.

Como você já deve saber, os teclados dos smartphones e tablets têm memória, eles aprendem as palavras que mais usamos e, com o tempo, passam a considerar como erradas palavras que nunca usamos antes, mesmo que elas existam no dicionário. Se você vende lingerie, por exemplo, e usa o celular como ferramenta de trabalho, no dia em que você tentar mandar a mensagem "Tá na feira? Compra salsinha." o seu "espertofone" vai corrigir para "Tá na feira? Compre calcinha."

Por mais que você não se sinta inteligente ou se ache ruim em português, acredite: seu smartphone nunca adivinha o que você quer dizer, ele apenas acha que você é previsível o bastante para dizer sempre as mesmas coisas, usar as mesmas palavras, mas sabemos que você é muito mais inteligente do que seu aparelho quer que você seja.

2. Vá direto ao assunto e não espere resposta aos cumprimentos

Algumas pessoas acham que é mais educado iniciar uma conversa com um preâmbulo, ou seja, uma longa introdução antes de chegar ao assunto principal. Na teoria é bonito, mas na prática não é verdade. O mais educado é mostrar que você sabe que o tempo é o bem mais precioso da pessoa. Depois dos cumprimentos (que na minha opinião também são desnecessários, mas nossa sociedade insiste em afirmar o contrário), vá ao assunto.

Oi. Bom dia! Como vai?
Quanto custa o perfume Humor 1 de 25 mL que você está vendendo?

Viu como é fácil? Nem doeu.

E ainda tem gente que acha que a mensagem surte mais efeito se contar uma longa história primeiro, principalmente se ela for triste ou engraçada. Em mensagem de texto não é assim que funciona. Se quer postar textão, use seu blog, escreva um livro, mande um artigo para o jornal do seu bairro. Quando estiver conversando com alguém, primeiro diga o que deseja. Conte a história apenas se a pessoa se interessar por ela. E se contar uma história for o objetivo principal da conversa, avise antes.

- Oi. Bom dia! Como vai?
Preciso de um conselho, mas antes preciso te contar uma história estranha que aconteceu comigo e meu irmão. Você pode ler?

- Sim, mas mande por e-mail. Não consigo ler texto longo no WhatsApp.

Outra ideia que parece funcionar na teoria, mas na prática não se confirma, é achar que a pessoa precisa responder seu cumprimento antes de você dizer o que deseja. Eu sei que quando você está conversando pessoalmente com alguém funciona assim, mas não na internet, gente. Cumprimente e logo em seguida diga o que quer. Muitos estranhos me mandam "oi", "bom dia", "boa tarde", "boa noite", "como vai" e é claro que eu não respondo. Pode ser excesso de precaução, mas se sobrevivo depois de tantos anos morando e me deslocando sozinha, ninguém pode me culpar por excesso de precaução.

Se quiser ser respondido por um estranho, o mínimo que você precisa fazer é dizer seu nome e mandar logo a primeira pergunta:

Oi! Como vai?
Meu nome é Jéssica.
Você já vendeu o Midnight Fantasy?

Ainda sobre ir direto ao assunto, se a intenção é deixar um elogio ao trabalho de um estranho, deixe muito claro que o elogio é mesmo ao trabalho.

Oi! Tudo bem?
Meu nome é Gabriel.
Sou seu fã.

Acrescentando uma frase, tudo fica mais claro:

Oi! Como vai?
Meu nome é Leonardo.
Sou seu fã. Adoro as dicas do seu blog.

Pode até ser que o Leonardo seja um sociopata estuprador e o Gabriel seja apenas um dócil fã sem segundas intenções, mas são apenas hipóteses. Tudo o que sei sobre eles estão nessas mensagens, então pode ter certeza de que responderei o Leonardo muito antes de responder o Gabriel, se é que responderei o Gabriel.

3. Diga exatamente o que quer. Não deixe subentendido

"Deixe assim ficar subentendido" só é bonito em letra de música. Na vida real, não é prático, nem sempre é bonito e ainda pode resultar em briga feia.

Tem gente que é capaz de me mandar mensagem assim:

Oi. Vi seu anúncio no site.

E só isso. Não manda nenhuma outra mensagem logo em seguida. Às vezes eu respondo com OK, outras vezes nem isso.

E provavelmente a pessoa fica sem entender a falta de resposta. Isso porque, na cabeça dela, a mensagem enviada foi a seguinte:

Oi!
Meu nome é Valéria.
Já vendeu o Kriska da Natura?

Ou então:

Oi!
Meu nome é João.
Já doou o livro A Grande Arte?

Notam a gritante diferença? A pessoa quer perguntar se um produto ainda está disponível para venda/doação, mas só consegue mandar mensagem avisando que viu meu anúncio e acha que realmente perguntou sobre o produto. Parece um erro cognitivo besta, mas acontece MUITO e você provavelmente já o cometeu. Duvida? Vou dar outro exemplo:

- Thaís, vai passar no supermercado depois do trabalho?
- Vou sim, mãe.
- Vai demorar?
- Daqui meia hora eu saio.
- Hoje vou fazer aquele escondidinho de carne seca.
- Ótimo!

E o diálogo termina aí. O que entendemos? São mãe e filha e provavelmente moram juntas. A filha está trabalhando fora e vai ao supermercado, a mãe está em casa e vai preparar a refeição. A mãe anunciou o prato do dia. A filha gostou da ideia. Fim.

Mas, na cabeça da mãe, ela pediu para a Thaís comprar todos os ingredientes necessários para fazer o escondidinho de carne seca.

Só que a Thaís chega em casa com creme dental, sabonete, desinfetante e um saco de ração para cachorro. Nenhum ingrediente para o escondidinho.

E é assim que começam muitas brigas familiares: problemas bobos de comunicação que poderiam ser evitados se as pessoas fossem mais claras e parassem de brincar de "Adivinha o que eu quis dizer?"

4. É pergunta? Use interrogação

Quando você manda uma pergunta para uma pessoa e ela visualiza, mas não responde, você pode achar que ela não está interessada no assunto, que não está interessada em você.

Acontece. Mas eu apresento mais uma hipótese: a pessoa não notou que era uma pergunta. Achou que era uma afirmação e que não precisava opinar sobre o assunto.

Abra a mensagem novamente e verifique: você usou interrogação?

Isto é uma afirmação que não precisa de resposta:

O professor já corrigiu a lição.

Isto é uma pergunta que pede uma resposta:

O professor já corrigiu a lição?

E algo ainda mais confuso pode acontecer: a pessoa responde com OK para confirmar o recebimento da informação e você entende como sim a uma pergunta que você não fez.

Se na última mensagem em que foi ignorado você esqueceu o sinal de interrogação, refaça a pergunta do modo correto. Agora que você realmente fez uma pergunta, tem mais chances de conseguir uma resposta.

5. Pessoa, sempre use vírgula para isolar vocativo

Se você participa de grupos, existe um caso em que você realmente precisa aprender a usar vírgula porque não tem como grupo prestar quando as pessoas não sabem isso: vocativo.

Você está em um grupo com 20 pessoas, amigos de longa data que saem para passear juntos e usam o grupo para marcar os encontros. Vocês estão combinando ir ao boliche. A sua melhor amiga no grupo é a Marina, mas ela mora em outra região da cidade e não tem carro, então você quer que ela diga no grupo se vai ou não para conseguir logo uma carona. Para ajudar, você manda a seguinte mensagem:

Marina vai para o nosso boliche?

Em seguida, 18 pessoas diferentes respondem:

- Não.
- Sim.
- Não sei.
- Ela me disse que vai.
- Pergunta pra ela.
- Tem que ir dessa vez.
- Se for eu levo ela.
...

A Marina está no grupo, bastava ela mesmo responder. Mas você perguntou pra todo mundo. Poderia ter evitado essa inundação de respostas desnecessárias se tivesse escrito:

Marina, vai para o nosso boliche?

Assim ficou bem claro que a pergunta era para a Marina, especialmente para a Marina, para ninguém além da Marina.

6. Use vírgulas corretamente e evite frases que precisam delas

Você pode precisar menos de vírgulas se adotar frases na ordem direta. Um exemplo de frase em ordem indireta, que exige vírgulas:

Feliz, foi como fiquei quando soube, em cima da hora, o resultado do concurso.

Não precisa de vírgulas:

Fiquei feliz quando soube o resultado do concurso. Descobri em cima da hora.

Quando você coloca várias orações no mesmo período, também pode precisar de vírgulas:

Vou ao cinema ver o filme, provavelmente o francês, mas se você puder vir me buscar, de carro, não ando de moto, podemos ir juntos ver aquele outro filme que você quer.

Sem vírgulas:

Vou ao cinema. Se você vier me buscar de carro podemos ver o filme que você quer. Não ando de moto. Vou ver o filme francês se eu for sozinha.

A vantagem é que, se você seguir a primeira dica do post e for direto ao assunto, não vai precisar de tantas vírgulas.

7. Evite eufemismos

Para quem não está ligando o nome à pessoa, eufemismo é quando você diz que alguém "bateu as botas" ao invés de dizer que morreu.

Quando mal usados, e geralmente são muito mal usados, os eufemismos empobrecem a linguagem, reforçam estereótipos, revelam preconceitos e ainda tornam o texto ambíguo. Não vou me prolongar nesta dica, se quiser ler mais sobre o assunto, leia:

8. Evite gíria, ironia, hipérbole e outras figuras de linguagem

Se você está conversando pessoalmente com seus colegas de trabalho que te veem todo dia, sabem que todos da sua família estão bem e que você está com uma cara ótima enquanto fala, não há problema em dizer:

Meu pai morreu do coração com aquele gol contra!

Mas aí você manda a mesma mensagem por texto para seu irmão que está fora do país. Ele vai achar que o pai morreu mesmo e pode até morrer do coração de verdade. Não faz isso, gente! Guarde hipérboles, ironia e outras figuras de linguagem para os diálogos presenciais, quando você tem todo o corpo para expressar o que realmente está dizendo. Em texto escrito, figura de linguagem só cabe se ele for longo o bastante para o leitor entender o contexto. E se você tiver domínio da figura de linguagem que está usando, é claro.

É óbvio, mas não custa lembrar que gíria você usa de acordo com a tribo: jargão de academia com os amigos marombeiros, jargão de advogado para os colegas do direito, jargão de concurso público para os colegas concursandos.

E se estiver se comunicando com pessoas de outras regiões do Brasil, não se esqueça que cada Estado tem praticamente um dialeto próprio, isso sem falar que Estados muito grandes, como Pará e Minas Gerais, ainda têm subdialetos. Muito cuidado ao ser informal demais porque você pode ser totalmente incompreendido.

9. Use maiúsculas corretamente

Apenas em conversas informais da internet, repito, apenas em conversas informais da internet, uma alternativa para evitar o uso errado de maiúsculas é escrever tudo em minúsculas. Tudo mesmo.

bruna, vou lá mais tarde. reserva mesa para quatro no coco bambu. passa lá em casa sexta-feira. te dou o dinheiro do uber.

Parece estranho, mas acredite: fica muito melhor assim do que usar maiúsculas em alguns lugares certos e não usar em outros:

Bruna, vou lá mais tarde. reserva mesa para quatro no coco Bambu. passa lá em casa sexta-feira. Te dou o dinheiro do uber.

Também fica muito melhor usar só minúscula do que usar maiúscula onde não deve:

Bruna, vou lá mais tarde. Reserva mesa para Quatro no Coco Bambu. Passa lá em casa Sexta-feira. Te dou o dinheiro do Uber.

Outro problema que ocorre com quem lê muito em inglês e pouco em português é exagerar no uso das maiúscula. As regras são diferentes nos dois idiomas, por isso é preciso ficar atento. Os dias da semana e os meses do ano, por exemplo, são escritos com letra minúscula em português e com letra maiúscula em inglês.

10. Esqueça as siglas e abreviaturas de preguiçoso

Quando comecei a jogar Buraco na internet, levei um tempão para entender que BT não era a sigla de BrasilTelecom, mas sim de "boa tarde". E, dependendo do contexto, pode significar ainda "bate", uma mensagem para o parceiro ou adversário bater logo e encerrar o jogo. Esse é apenas um exemplo. Há diversas siglas que os jogadores usam e muitas delas eu ainda não faço a mínima ideia do que significam.

Antes que me apontem, uso muito as siglas PQP, VTC e OMG porque as duas primeiras são xingamentos e a terceira é uma blasfêmia. Fora isso, evito ao máximo essas siglas de preguiçoso porque, no fim das contas, podem significar qualquer coisa.

E essa, na minha opinião, é uma vantagem dos teclados inteligentes: não há desculpa para abreviações malucas, basta digitar as primeiras letras da palavra que o aparelho dá a opção de completar. Graças aos smartphones, VC voltou a ser você.

11. Sempre revise o texto

Leia o que escreveu antes de mandar. Se estiver confuso até para você, não espere que seu destinatário entenda. Reescreva de forma mais clara, objetiva e simples.

12. Conclusão

Sou apaixonada pela língua portuguesa desde que me entendo por gente e hoje é minha principal e favorita ferramenta de trabalho. Eu poderia ficar aqui horas e horas dando dicas e mais dicas. Selecionei apenas algumas que achei mais urgentes e básicas, principalmente pelo que tenho observado quando tento me comunicar por mensagens de texto com pessoas que não são comunicadoras profissionais.

Gostou desse assunto? Continue aprendendo:

Até mais!

Posts relacionados