Páginas

quarta-feira, 17 de junho de 2020

📺 UOL Play: TV online com asquerosas práticas analógicas

Eu tinha 7 dias para testar o serviço UOL Play Beta, mas só precisei de algumas horas: assinei ontem no fim da tarde e já estou fazendo a resenha hoje.

Quem já assinou qualquer serviço UOL (revista Abril, clube UOL, UOL Host…) sabe que a empresa ainda tem práticas sórdidas que só servem para traumatizar os clientes e impedir que eles tenham qualquer interesse em assinar de novo ou indicar para outras pessoas. A empresa ainda age como se estivesse nos anos 90, quando não tinha concorrência porque serviços digitais eram novidade no Brasil.

Quando descobri o serviço UOL Play, eu tinha uma fagulha de esperança de que a empresa já tivesse evoluído um tiquinho, mas não foi desta vez.

O que é UOL Play?

A ideia é boa: uma operadora de TV online que, além de oferecer conteúdo dentro da própria plataforma (site e aplicativo), dá acesso a apps/sites de canais que exigem uma operadora de TV, como é o caso da Fox.

Assim, você tem séries e filmes sob demanda e também canais live nos aplicativos que oferecem transmissão.

Optei por testar esse plano Combo Cinema porque tem os canais Fox. Eu até pensei em pegar o Combo Família, por serem 7 dias grátis, mas já passei muita raiva com UOL e cogitei a possibilidade de ter problemas para cancelar e ser cobrada por canais que não uso.

Android mobile sim, Android TV não

O aplicativo UOL Play para Android 10 (Xiaomi Mi A 2 Lite) funciona direitinho. Consegui abrir episódios de séries e transmitir para a TV via Chromecast, sem problemas nisso.

O UOL Play não funciona no sistema operacional Android TV. Tentei a gambiarra de instalar o apk, mas realmente não é compatível. Chega a abrir a tela de login, mas não sai dela.

Consegui fazer login no aplicativo Fox que, só pelo meu e-mail, reconheceu automaticamente que tenho uma assinatura UOL. Como tem Fox para Android TV, isso até me animou um pouco. Enquanto tentava (sem sucesso) acessar as outras emissoras no celular, fiquei assistindo Os Simpsons no aplicativo Fox da TV.

Propaganda enganosa

Olhando a divulgação, da forma como foi feita, eu deduzi que também teria acesso aos aplicativos Paramout, MTV e Comedy Central, mas não é assim que funciona. Testei esses aplicativos ontem e o acesso não está liberado.

Parece que, até o momento, só Fox e Noggin reconhecem UOL TV como operadora. E Noggin ainda não tem aplicativo para Android TV, o que também não serve pra mim, apesar de eu gostar de alguns desenhos do catálogo.

Dos canais Paramount, MTV, Sony, Comedy Central… você só assiste o conteúdo sob demanda que está dentro do aplicativo UOL Play. Não tem live desses canais.

Acredito que podem melhorar a divulgação e deixar as informações mais claras. Inclusive, algumas pessoas podem até ficar mais interessadas se souberem que vão conseguir acessar o aplicativo da Fox, que tem vários canais live dublados.

Retenção de cliente

Esse problema é crucial para um serviço de streaming. Ontem mesmo, logo após ter assinado, procurei o botão de cancelamento, pra saber se eu poderia encerrar o serviço sozinha antes dos 7 dias. Não encontrei. Isso me deu tanta raiva que decidi cancelar o serviço hoje mesmo.

Pensei em telefonar, mas optei por fazer o cancelamento pelo site. Primeiro entrei no chat da home do UOL Play. Depois de trocar algumas mensagens com o robô, ele (o bot) me mandou entrar no site de cancelamento e abrir o outro chat:

É preciso ficar com a tela do computador aberta esperando atendente humano(a) no chat. A gente tem que esperar 10, 20 minutos… mas o atendente não espera nem 30 segundos se a gente não estiver com a tela aberta para responder no mesmo instante.

Nas duas primeiras tentativas, os atendentes fecharam o chat “na minha cara” assim que eu disse “quero cancelar UOL Play”.

Quando um atendente finalmente aceitou me atender, demorou muito em cada resposta e ficou me perguntando os motivos, tentando me convencer a ficar. Ou seja, aquela irritante prática de retenção: você tenta cancelar e o(a) atendente fica insistindo pra você ficar.

E foi aí que eu quase caí na conversa dele: o atendente me ofereceu um preço 70% inferior ao valor do plano e eu fiz uma conta simples de cabeça: o catálogo Fox vale isso? Claro que vale. Aceitei.

Mas eu tô velhaca com as mentiras da UOL e fiquei de olho no meu e-mail, esperando o comprovante de mudança do preço. Foi assim que vi que o atendente fez um downgrade no plano e eu perdi a única coisa decente da assinatura: o acesso ao aplicativo Fox.

Aí eu falei para o atendente que pra mim não servia sem Fox, ele ficou insistindo que tinha Fox sim. Aí eu abri o aplicativo Fox no meu celular e digitei pra ele exatamente o que estava escrito:

Depois dessa, o atendente desistiu de argumentar, aceitou meu pedido e finalmente cancelou o serviço. Contando aqui parece que foi rápido, mas o processo levou mais de meia hora porque cada resposta dele levava mais de 2 minutos.

Eu não culpo o operador, já trabalhei como atendente em várias empresas e sei que muitas vezes a própria empresa passa informações falsas para os funcionários. Outras vezes, eles até sabem a informação correta, mas mentem ou omitem porque são pressionados a cumprir metas altíssimas para manter o emprego.

Esse trabalho de retenção de cliente simplesmente não deveria existir mais, especialmente em serviços que são 100% digitais e têm uma concorrência enorme. O assinante tem que ficar porque o serviço é bom e não porque não consegue falar com atendente para cancelar.

A matemática não fecha

Eu não tenho mais paciência para Chromecast porque mal tenho tempo pra assistir os aplicativos que estão na minha TV, então pagar 40 reais só para ter Fox não faria sentido no momento.

Mas eu até cogitaria assinar com planejamento (vocês sabem que eu intercalo os streamings) para passar um mês inteiro assistindo só Fox. Tem muita série exclusiva que eu ainda não vi. Mas, sem botão de cancelamento, sem chance. Só de pensar que, no dia de cancelar, vou perder horas passando raiva com atendente mentiroso(a), já tô abrindo o torrent.

Outra comparação que faço é com uma assinatura de TV tradicional, que também vai liberar meu acesso aos aplicativos dos canais. Eu já tenho um combo Claro Net (com celular, fixo e internet) e consigo adicionar dezenas de canais ao meu plano por menos de 80 reais por mês. Logo, pagar 40 por um único aplicativo só faria sentido se fosse algo esporádico. E para ser algo esporádico, teria que ser fácil de cancelar.

Quantas vezes já cancelei Netflix, HBO, Globoplay, Prime Video… e depois voltei justamente porque sei que tenho a liberdade para ir e voltar sem dar satisfação pra ninguém? Aprenda, UOL. Aprenda!

Eu, sinceramente, espero que a empresa leve a sério esse feedback. Assinar um pacote só com conteúdo sob demanda e canais online faz sentido pra mim, assim como deve fazer pra muita gente da minha geração.

E espero que o serviço cresça e passe a oferecer acesso a todos os canais que promete. Melhor ainda se conseguir colocar os canais live dentro do próprio UOL Play, assim como já faz o aplicativo Now.

Até mais!



3 comentários:

  1. Excelente review, obrigado por compartilhar! Tinha me animado ao ver a quantidade de conteúdo mas, depois de ver como complicam para cancelar, desanimei completamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essa parte do cancelamento mata o serviço. A empresa UOL até hoje não entendeu que não vai conquistar nossa geração assim.

      Excluir
  2. Otimo review ,tenho certeza que eles do uolplay vao se aprimorar bastante ou eles vao penar , com a chegada da Disney+ , so o tempo dira

    ResponderExcluir

Todos os comentários são moderados pela autora do blog.