Busca

Carregando...

domingo, 5 de junho de 2016

🖇 Twitter | Por que parei de seguir quase todo mundo?

Em abril, parei de seguir centenas de perfis no Twitter, inclusive vários de pessoas queridas. Fiquei com menos de 20. Agora estou seguindo 28 e a maioria desses perfis eu não seguia antes da limpeza. Como sempre digo que o Twitter é minha rede social favorita, as pessoas ficam curiosas para entender os motivos. Vou tentar me explicar.

Um dos principais motivos é a minha falta de estômago para notícias de política partidária. O excesso desse assunto no Twitter me levou a parar de seguir vários perfis de humor e vários colegas jornalistas. Não tenho mais paciência para a desinteligente politicagem municipal, para o prostíbulo de BR que é a política federal e menos ainda para o coronelismo da esfera estadual, na qual trabalho. O que é relevante mesmo eu fico sabendo por fontes oficiais. No Twitter, as pessoas ficam muito tempo amassando barro no mesmo assunto, não curto isso.

Menos estômago ainda tenho para notícias policiais, principalmente envolvendo violência contra crianças, idosos, imigrantes e mulheres. Sou jornalista e infelizmente fico sabendo de alguma forma, mas não preciso seguir pessoas no Twitter que ficam durante dias ruminando o mesmo fato doloroso. Por isso parei de seguir perfis sobre direitos humanos: feministas, políticos do PSol, órgãos de defesa da mulher, etc.

Outros perfis que estavam me enojando muito eram os de pessoas e entidades que tentavam combater o ódio na internet divulgando mensagens de ódio na internet. Bizarro, né? Mas acontece bastante. Vou dar um exemplo fictício: o pseudocantor Babacão publica uma mensagem sexista e agressiva ofendendo a presidente do Brasil, aí as pessoas, na ânsia de defender a presidente e/ou de desmoralizar o Babacão (como se ele precisasse de ajuda para isso), fazem prints e republicam loucamente a mensagem sexista e agressiva do pseudocantor. Ou seja, discordam tanto do que o Babacão disse que fazem exatamente o que ele queria quando publicou a mensagem. Pessoas, parem com isso! Apenas parem.

Entrei no Twitter ainda adolescente, então já tive essa fase, confesso, mas já estou grandinha demais para perder tempo com perfis que só reclamam da vida, a não ser que seja de uma forma MUITO criativa e MUITO engraçada. Mas a maioria só repete frases e piadas que fizeram sucesso no Twitter de 2008. Let's move on!

Perfis que só ficam retuitando outros perfis sem nunca dizer nada relevante com as próprias palavras também não curto mais.

Mas, perfis que acham que precisam dar opinião sobre tudo o tempo todo também não me convencem.

Perfis que falam muito sobre futebol também me cansam rapidamente. Não os sigo mais.

Perfis que só servem para republicar Instagram e Facebook são inúteis pra mim. Não os sigo.

Nunca tive paciência para perfis excessivamente pessoais que ficam apenas contando detalhes da própria rotina sem nunca acrescentar uma dica ou outra informação relevante.

Bom, isso tudo é o que parei de seguir. E o que estou seguindo agora?

Um perfil de humor, alguns outros perfis com frases espirituosas, alguns colegas de trabalho que tuitam pouco e vários perfis que postam dicas de organização, minimalismo, foco, produtividade e saúde mental, a maioria em inglês. Confira todos no site: twitter.com/helenfernanda/following.

Por enquanto é nesse modo minimalista que consigo usar o Twitter e ele continua sendo a minha rede social favorita. Talvez eu volte a seguir tudo de novo. Talvez não. Mas agora é assim que é.

Até mais!

Posts relacionados