Busca

Carregando...

domingo, 3 de julho de 2016

🇫🇷 Um projeto para 2016: evoluir no francês | parte 2

Foto: www.bolsas.academicis.org

No início do ano eu contei sobre meu projeto pessoal de evoluir no francês de forma autodidata e sem despesa adicional. Como um semestre já se foi, vou contar como tenho ido e ao mesmo tempo dar algumas dicas para quem ainda vai começar a estudar esse idioma tão lindo, internacional, romântico, diplomático…

🏰 Os aplicativos ajudam muito

Eu usei a versão gratuita do Mosalingua até esgotar todas as frases disponíveis. Aprendi muito, mas se você me fizer perguntas infantis como: "quais são os dias da semana em francês?", eu não consigo responder porque o aplicativo ensina frases aleatórias, então não desenvolvi um conhecimento sistemático.

Depois, vi que o Duolingo finalmente tinha colocado a opção de aprender francês a partir do português, então instalei. Gosto bastante dele, principalmente da opção de pronunciar a frase para o próprio aplicativo corrigir. Acho ótimo!

Outra facilidade do Duolingo é ser um aplicativo só para vários idiomas. No dia em que você estiver de saco cheio do francês, pode trocar e revisar inglês, espanhol e até alemão. Se você já se vira bem em inglês ou espanhol, por exemplo, há ainda mais idiomas que pode aprender no mesmo aplicativo, como italiano, polonês, russo, esperanto, etc.

Voltando ao francês, também gosto bastante do Language Course. Quando estou enjoada do Duolingo, uso ele.

Esta semana ganhei assinaturas do Mosalíngua Premium para italiano, inglês e francês. Tem muito mais conteúdo do que a versão gratuita. E como o meu progresso já estava salvo, não precisei voltar às primeiras frases, estou evoluindo de onde parei.

Também já usei o Memrise e o Rosetta Stone. Gostei muito dos dois, só não os tenho mais porque não preciso de tantos aplicativos instalados ao mesmo tempo.

E também tenho um dicionário que ajuda em traduções de palavras off-line.

Links para os aplicativos que recomendo:

Testei o Busuu também e ele não é ruim, mas não gosto das traduções dele, são excessivamente alternativas e ousadas, de forma que podem confundir o aluno desavisado.

🏰 O Netflix ajuda, mas não muito

Há pouquíssimo conteúdo em francês no aplicativo. Para receber mais sugestões em francês, criei um perfil em francês onde minha lista só tem produções em francês, mesmo assim raramente aparece alguma dica interessante. Adoro cinema francês, mas a maioria dos filmes simplesmente não está disponível para o Brasil.

Série, só achei uma: Marseille. Não é ruim, mas ainda não senti empatia por nenhum dos personagens, sem isso é difícil se empolgar.

🏰 A maioria dos sites franceses são escritos em inglês

Foi o que notei ao procurar sites e blogs em francês: a maioria dos franceses opta por escrever em inglês para alcançar um público muito maior do que teriam escrevendo em francês. Por isso são poucos os bons sites escritos em francês e alguns deles nada mais são do que traduções de uma versão principal em inglês.

Dos sites de notícia, não gosto em idioma algum porque sempre dão muita ênfase a tragédias e outras notícias tristes, sou mais feliz sem saber delas.

No Facebook, consegui encontrar algumas páginas em francês, assim sempre traduzo alguma coisa quando abro a timeline:

🏰 Ainda quero ler livros em francês

A verdade é que ainda não comecei nenhum livro realmente interessante em francês. Já fucei bastante lá na Amazon procurando títulos gratuitos e os únicos que me interessaram foram os do Jules Verne (Julio Verne). Pretendo começar um deles em breve. Seguem os links de alguns dos livros para quem quiser baixar no Kindle:

🏰 Sites de uso diário em francês

Já faz alguns meses que coloquei meu Google/Gmail, meu Facebook e meu Twitter em francês e isso já me deixa algumas horas por dia imersa no idioma. No Netflix, como já contei, também tenho um perfil em francês.


Continuo aceitando sugestões de filmes, séries, vlogs e blogs.

Até mais!

Posts relacionados