quarta-feira, 25 de setembro de 2019

💳 Minha transição dos cartões de crédito pós-pagos para os pré-pagos

Depois de 16 anos usando cartão de crédito com fatura, finalmente cheguei à conclusão de que isso não é pra mim. Ter a possibilidade de adiar a “dor do pagamento” me leva a decisões impulsivas e estúpidas que nenhuma planilha detalhada ou planejamento meticuloso consegue evitar.

Já experimentei ficar sem cartão de crédito, mas não funcionou porque ele é exigido em muitas compras e assinaturas que faço pela internet. A melhor solução pra mim está sendo o cartão de crédito pré-pago, mas ainda estou em fase de transição e vou contar como está sendo.

💳 Usando o 13º salário

Eu já estava tão dependente do cartão de crédito que, depois de pagar as faturas, eu não tinha dinheiro para pagar todas as minhas contas fixas. Várias delas, como plano de saúde e internet, eu pagava com o cartão de crédito. Sem falar nas contas variáveis, como alimentação e transporte.

Por causa dessa dependência, eu tive que esperar o 13º salário para pagar todas as contas do mês à vista (tanto as fixas quanto as variáveis) e assim quebrar o ciclo de dependência do cartão.

Se você está em uma situação parecida, provavelmente também precisará de um dinheiro extra para conseguir se livrar do cartão de crédito.

💳 Muitas faturas virão

Por causa dos parcelamentos, sei que ainda vou passar muitos meses pagando faturas. Mas é claro que as faturas virão cada vez menores até que eu finalmente pague tudo o que comprei.

Ainda estou pagando, por exemplo, as últimas faturas do cartão Santander, que cancelei há seis meses. Como eu era adepta de compras em muitas e pequenas prestações (adiando e suavizando a “dor do pagamento”), ainda vou levar mais três meses para pagar tudo. A conta-corrente eu cancelei há um ano, então não preciso mais acessar o aplicativo nem o site do Santander. Todo mês recebo a fatura por e-mail e pago no aplicativo do meu banco atual.

Também continuarei por uns meses pagando faturas do cartão de crédito Nubank, que cancelei hoje.

Reduzi o limite do meu cartão de crédito do Banco Inter para R$ 10,00. Isso significa que, mesmo sendo um cartão pós-pago, só conseguirei usá-lo no modo pré-pago. Mas primeiro eu preciso pagar todos as faturas com parcelamentos porque o limite ainda está negativo e em um valor muito alto para eu quitar de uma vez.

💳 Cartões pré-pagos

Enquanto não zero meu limite do Banco Inter, estou usando outros cartões que são genuinamente pré-pagos.

Atualmente, meu principal cartão de crédito é o Mastercard do PagSeguro, que estou usando para pagar Uber, iFood, Amazon, compras on-line, etc.

Hoje descobri que o Mercado Pago, em seu processo de virar banco digital, já está aceitando TED. Enquanto o Mastercard PagSeguro exige a transferência manual do saldo da conta para o limite do cartão de crédito, no Mercado Pago o dinheiro da conta já é o limite do cartão de crédito.

Ainda tenho um cartão virtual Recarga Pay que eu raramente uso, mas semana passada precisei.

💳 Mais algumas considerações

✔️ Muita gente resiste a cancelar o cartão de crédito pós-pago porque teme ficar sem uma reserva de emergência. Mas cartão de crédito não é reserva de emergência, é só a chance de comprometer seu(s) próximo(s) salário(s) antes de recebê-lo(s). Crie o hábito de economizar desde agora para formar uma reserva de emergência verdadeira.

✔️ É possível ter uma relação saudável e inteligente com o cartão de crédito pós-pago, mas a verdade é que a maioria de nós se deixa levar pela tentação porque é muito fácil para o cérebro confundir limite de endividamento com saldo positivo. Quando a gente olha a fatura com calma, é comum perceber que geralmente usamos o cartão de crédito para satisfazer desejos, até que em algum momento as faturas estão tão altas que passamos a precisar do crédito para pagar as necessidades.

✔️ Ligar para o banco e pedir a redução do limite do cartão de crédito pode funcionar na hora. Já fiz isso várias vezes na Caixa, no Itaú e no Santander. O problema é que os bancos aumentavam meu limite de novo sem a minha autorização. Quando eu dava por mim, já estava usando o crédito adicional. É por isso que já tenho o plano B para o caso de acontecer o mesmo no Banco Inter: vou solicitar o cancelamento e ficar só com os cartões pré-pagos.

✔️ Há um ano, eu compartilhei aqui no blog todas as minhas “contas de dinheiro”. Na época, eu já estava me livrando de algumas delas (Itaú e Santander), mas senti a necessidade de simplificar cada vez mais. Como parei de vender perfumes pela internet, achei que não ia usar mais minhas contas PagSeguro e Mercado Pago, mas agora que as duas aceitam TED, estão sendo muito úteis e não pretendo cancelar.

✔️ É muito boa a sensação de decidir o que fazer com o dinheiro quando o dinheiro já está na conta. Muito diferente do arrependimento de comprometer os próximos salários com uma compra desnecessária. Muito diferente da frustração de receber o salário e ter que pagar o que comi/usei/gastei no mês passado.

✔️ Mesmo antes de pagar todas as faturas, já estou me sentindo mais aliviada por não gerar dívidas futuras. Suaves prestações de compras do passado são pesadas correntes que nos aprisionam no futuro. #helenfrasista

✔️ Todos os cartões de crédito Mastercard, com fatura ou pré-pagos, podem ser cadastrados no programa de pontos Surpreenda: surpreenda.naotempreco.com.br.

✔️ Eu ouvi a expressão “dor do pagamento” pela primeira vez no canal Me Poupe, mas não sei se a Nathalia Arcuri inventou ou aprendeu com alguém.

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são moderados pela autora do blog.