Busca

Carregando...

quinta-feira, 16 de junho de 2016

🎒 Sobre o meu lance de "colecionar" mochilas

Eu tenho cinco mochilas. Nunca quis colecionar isso, a verdade é que a maioria delas eu comprei com o objetivo de que fosse a definitiva, a única, a perfeita. Assim como encontrei a carteira perfeita, achei que pudesse funcionar com mochila, mas ainda não funcionou. Esse é o tipo de post "veja meus erros para que não precise cometê-los antes de acertar".

Cabe um esclarecimento: eu raramente uso bolsas. Tenho bolsas de vários tamanhos, cores e formatos, mas eu pouco as uso. Como não tenho carro e faço a maioria dos meus trajetos de bicicleta, a pé ou de ônibus (nessa ordem), carregar bolsa é muito desconfortável pra mim. Só uso quando não tenho que carregar quase nada, como quando vou prestar concurso público ou quando vou a algum espetáculo de teatro ou música.

E para reforçar o meu hábito de preferir as mochilas, na única vez em que furtaram minha carteira eu estava de bolsa. Anos depois, tentaram me assaltar em outra região da cidade e eu estava de bolsa. Como raramente uso bolsa e nunca sofri esse tipo de violência usando mochila, acho essa estatística muito relevante.

Nos últimos 12 meses doei várias outras mochilas que eu não usava mais. Essas cinco que vou mostrar aqui são as que uso e das quais realmente gosto. Vou colocar na ordem em que as comprei.

1. A prática e descolada

Essa mochila é muito bonita, apesar de eu nunca conseguir fazer fotos que façam jus à beleza dela. Já faz 4 anos que tenho, fiz até um post na época em que comprei. Ela está com alguns arranhões na estampa e já precisei fazer uma costura por dentro para o zíper não ficar pegando a lona, mas pelo tempo e a intensidade de uso, está em ótimo estado.

Ela é compacta e não tem muitas divisórias, então é ótima quando não preciso carregar muita coisa. Usei durante anos para ir ao trabalho, mas ela ficou pequena quando troquei o fone de ouvido auricular (o foninho) pelo headphone. As outras coisas que carrego (carteira, celular, caderno, nécessaire, estojo de caneta, copo, lanche, óculos de sol, blusa de frio…) já ocupavam todo o espaço.

2. A que carrega tudo e mais um pouco

Exagerei. A verdade é que eu descobri o limite de peso dessa mochila na mesma semana em que comprei. Fui buscar um aparelho de som na assistência técnica e inventei de colocar ele dentro da mochila para voltar pra casa. Coube. Mas quando dei três passos para fora da oficina, o passador da alça da mochila arrebentou. Sorte que a mochila era nova e, assim como o aparelho de som, estava na garantia. Levei para a assistência técnica (desta vez a da loja onde comprei a mochila) e a consertaram pra mim sem cobrar nada.

Fora esse episódio em que eu realmente abusei da sorte, a mochila é resistente e aguenta muita coisa. Geralmente é ela que levo para as viagens porque é única mochila onde consigo acomodar, além de tudo que já costumo carregar para o trabalho, agenda, livro, máquina fotográfica, tablet, Kindle, travesseiro de pescoço… E ela tem vários bolsinhos então as possibilidades são muitas.

Ao mesmo tempo, por ter muitos bolsos, ela me dá bastante trabalho porque nunca me lembro em qual bolso está a chave, em qual bolso está o cartão do ônibus, em qual bolso está o celular… Fico bem tonta procurando as coisas.

Outra coisa que me acontece é supor que já guardei uma coisa, ficar com preguiça de conferir (porque são muitos bolsos), mas não ter guardado e acabar deixando para trás. Foi assim que perdi um molho de chaves e um Kindle em maio.

Essa mochila tem uma cor neutra, discreta e o acabamento dela é muito lindo. Foi a primeira que comprei levando em conta tanto a resistência quanto a aparência por isso a considero como minha primeira mochila adulta.

  • Marca: Republic Vix
  • Comprei na Willy Bolsas, Rua 4, Centro de Goiânia

3. A esportiva

Um dia eu estava passando pelo corredor principal da minha loja favorita quando encontrei essa mochila ideal para carregar toalha, touca, pente e outros acessórios que levo para a natação. Levíssima e sem volume, embalada ela ocupava um pacote que cabe no bolso traseiro da calça. Estava R$ 20. Comprei logo duas pretas: uma pra mim e outra para minha mãe.

É uma mochila para produtos leves e realmente é perfeita para meu uso esportivo. Aguenta até 1 kg. Se passar disso, a alça começa a descosturar.

Minha mãe gostou tanto da mochila que quase não usa bolsa mais. Ela geralmente coloca chave, celular, óculos e carteira, sempre que tem que andar muito ou quando precisa pegar ônibus.

  • Marca: Newfeel
  • Comprei na Decathlon, Jardim Goiás, Goiânia

4. A sofisticada

Em uma bela manhã de sábado, inventei de entrar no Bougainville - tinha participado de um evento lá perto - e acabei saindo do shopping com um carteira Kipling Brownie marrom e uma mochila de couro, dois itens que estavam há anos na minha lista de desejos, mas que eu não tinha planejado comprar aquele dia porque não estava com dinheiro sobrando para isso. Errei por antecipar, mas pelo menos foram bons investimentos.

De todas as minhas mochilas, essa foi a única que não comprei por questão de praticidade: fede couro, pesa demais, esquenta demais, fede ainda mais quando esquenta. Nesse caso, o critério foi mesmo a vaidade. Eu já vinha observando há alguns anos o quanto uma mochila de couro muda totalmente a primeira impressão que temos de uma pessoa, então eu queria experimentar isso também.

Assim que comprei a mochila passei a usá-la no trabalho e a mochila de couro realmente chama a atenção e rende elogios. É o tipo de produto que mostra que você se importa não apenas com a aparência, mas também com a durabilidade do que você compra, então transmite a impressão de bom gosto e inteligência, seja ela confirmada no futuro ou não.

O couro é resistente, mas a espuma da alça foi costurada com pano. Essa não me aguentou muito tempo:

Amanhã mesmo vou entregar para minha mãe costurar.

Pelos fatores já citados, não uso mais essa mochila de couro para ir ao trabalho, mas sem dúvida é minha opção para diversas ocasiões em que a boa impressão é fundamental.

  • Marca: não faço ideia, mas a logo é RR (e não é de Rolls-Royce)
  • Comprei na Le Postiche do Bougainville, Setor Marista, Goiânia

5. A minimalista e favorita

Eu já estava cansada do peso do couro, quando um produto exposto em uma loja do Flamboyant me chamou a atenção: uma linda mochila preta com design minimalista e que aparentava ser feita de uma lona levíssima e de excelente qualidade.

Não resisti e entrei para olhar o preço. Imaginei que fosse uma fortuna, mas vi que estava dentro do que considero um preço justo por uma mochila de boa qualidade. Apalpei, segurei, abri, experimentei e acabei comprando essa belezinha.

Apesar de basicamente ser um saco escondido por uma grande aba, por dentro ela tem dois compartimentos abertos e dois bolsos com zíper. Cabe tudo que costumo carregar:

Mas outro dia abusei (de novo) e resolvi carregar um receptor de parabólica. No total dos vários trajetos que fiz, andei mais de uma hora nesse dia carregando a mochila com quase todos os itens acima e também o receptor. Quando cheguei em casa, nem me espantei quando vi o estrago:

Não é sem motivo que sempre procuro mochilas muito resistentes.

  • Marca: Lacoste
  • Comprei na Lacoste do Flamboyant, Jardim Goiás, Goiânia

Conclusão

Eu tenho mais uma mochila preta pequena, mas de lona resistente e muito funcional. Só que o zíper dela não era muito bom e eu preciso trocar. Quando isso acontecer, vou dar para a minha mãe para quando ela precisar carregar um pouco mais de peso, já que a Newfeel não aguenta.

Mas pra mim, já deu de mochila nessa vida! Não quero comprar mais nenhuma na próxima década. Afastem de mim as tentações!

Na verdade, é mais provável que eu me desapegue de pelo menos duas dessas mochilas e fique só com três.

E pelo amor de qualquer coisa, não compre esse tanto de mochila. Seja uma pessoa mais esperta do que eu e, com base na minha experiência, escolha uma mais adequada pra você.

Mas, se você é como eu e usa mochila praticamente sempre que sai de casa, é bom ter uma para o trabalho e outra para academia e atividades esportivas. E se você gosta de usar mochila em viagem, é bom ter uma própria para isso, grande, espaçosa, feita de material leve e sem bolsos demais a ponto de confundir.

Este post tem tudo a ver com:

Até mais!

Posts relacionados